🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O INVESTIMENTO EM ATÉ 14,5X EM 8 DIAS? ENTENDA A PROPOSTA

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
AMIZADE ARDENTE

Poucos amigos, mas perigosos: o saldo da visita de Putin à Coreia do Norte que deixou o mundo em alerta

Isolados por severas sanções internacionais, Moscou e Pyongyang juntam forças para continuarem de pé; entenda toda essa história

Carolina Gama
19 de junho de 2024
18:35 - atualizado às 14:54
Presidente russo, Vladimir Putin, com a mão na boca simulando envio de um beijo | Rússia, Biden, Guerra
O presidente da Rússia, Vladimir Putin após reunião do BRICS - Imagem: José Cruz/Agência Brasil

Dizem que é melhor ter poucos, mas bons amigos. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, tem poucos amigos, porém perigosos — e Kim Jong Un, o líder da Coreia do Norte, é um deles.

As sanções impostas pelos EUA e aliados por conta da invasão da Ucrânia, deixou Moscou praticamente isolada no cenário internacional — ficou cada vez mais difícil para Putin conseguir dinheiro para manter a máquina de guerra russa de pé. 

A China, que nunca assumiu oficialmente um lado na guerra, tem contribuído com a Rússia por meio de compras de petróleo mais barato, por exemplo, mas não é a única a dar um suporte financeiro a Putin. 

O chefe do Kremlin ainda tem ao seu lado Belarus — nação localizada entre a Rússia e a Ucrânia e que disponibilizou seu território como ponto de partida para parte da invasão executada pelo Kremlin — e países como Síria, Venezuela, Cuba e Nicarágua.

Faz parte da lista de amigos de Putin a Coreia do Norte, destino da viagem do presidente russo depois de 24 anos. 

O que Putin foi fazer na Coreia do Norte?

A visita oficial de Putin à Coreia do Norte depois de mais de duas décadas foi acompanhada com bastante atenção pela comunidade internacional, sobretudo pelos EUA.

Há anos, os norte-americanos vêm tentando isolar a Coreia do Norte com sanções devido ao programa de armas nucleares do país e, desde 2022, a Rússia vem sendo alvo de esforços semelhantes por causa da invasão da Ucrânia.

Agora, Washington teme a aproximação estratégica entre os dois países. E não é à toa: o temor é de que a Rússia possa estar comprando armamentos da Coreia do Norte. Por causa das sanções norte-americanas, Pyongyang não consegue vender muitas das suas armas a outros países.

O saldo de uma amizade ardente

O presidente da Rússia e o líder norte-coreano assinaram nesta quarta-feira (19) um pacto que inclui uma promessa de ajuda mútua caso qualquer um dos países sofra "agressões".

Embora os detalhes não tenham ficado claros de imediato, o acordo poderá marcar a ligação mais forte entre Moscou e Pyongyang desde o fim da Guerra Fria. 

Ambos os líderes descreveram o pacto como um grande aprimoramento em suas relações, abrangendo segurança, comércio e investimento, além de laços culturais e humanitários.

Kim declarou que os dois países têm uma "amizade ardente" e prometeu total apoio à guerra da Rússia na Ucrânia.

 Putin, por sua vez, disse que o pacto é um "documento inovador", que reflete o desejo mútuo de levar as relações bilaterais a um nível superior. 

*Com informações da BBC e da Associated Press

Compartilhe

Aperta o play!

Como investir no exterior com real fraco, eleições pelo mundo e iminência de corte de juros nos Estados Unidos

13 de julho de 2024 - 11:00

Com bolsas americanas batendo recordes, incertezas sobre o Fed e eleição batendo à porta nos EUA, João Piccioni, responsável pela Empiricus Gestão, fala sobre como posicionar a parcela dolarizada da carteira

INVESTIMENTOS NO EXTERIOR

Nvidia não é a favorita: Itaú BBA recomenda cinco ações do setor de tecnologia para aproveitar a “liquidação” das bolsas dos EUA

12 de julho de 2024 - 19:20

Para o time de análise de tecnologia do banco, os fundamentos permanecem fortes em muitos nichos dentro do setor de tech

PREÇOS VOLTARAM A SUBIR

A magia de Milei acabou? Inflação na Argentina interrompe sequência de quedas e já supera os 270% em um ano

12 de julho de 2024 - 17:11

O avanço foi puxado pelo aumento nas tarifas de electricidade, gás e aluguéis residenciais

O JOGO NÃO ESTÁ GANHO

Não tem nada garantido: o “vilão” que pode impedir o BC dos EUA de cortar os juros em setembro

12 de julho de 2024 - 16:11

As apostas no afrouxamento da política monetária em setembro saíram da casa dos 70% para 96% nesta sexta-feira (12), depois de uma semana cheia de sinais sobre o futuro da política monetária da maior economia do mundo, mas esse jogo ainda não está ganho

BOJ EM AÇÃO?

A possível intervenção do governo japonês no iene que impediu a queda no preço do dólar no Brasil

12 de julho de 2024 - 9:24

A diferença entre o dólar e o iene criou uma oportunidade de negociação altamente lucrativa chamada carry trade

ELEIÇÕES NOS EUA

Uma gafe daquelas: Biden troca nomes, chama o presidente da Ucrânia de Putin e complica ainda mais as chances de reeleição

11 de julho de 2024 - 19:47

A Rússia invadiu a Ucrânia em fevereiro de 2022 e desde então os dois países se enfrentam em uma guerra que não dá sinais de trégua

Desventuras em série

Citi é multado pelos reguladores por não ajustar controle de riscos e de dados

11 de julho de 2024 - 18:23

Banco tem passado por vários problemas regulatórios desde 2020

A MARATONA DO FED

O corte de juros nos EUA é inadiável? A surpresa no dado que levou o S&P 500 a flertar com outro recorde e pode trazer oportunidade para o investidor

11 de julho de 2024 - 13:01

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) norte-americano entrou em território deflacionário em junho, na comparação mensal, e abre uma porta para os ativos mais arriscados; entenda como

Demanda por óleo

Agência Internacional de Energia atualiza projeções e joga balde de água fria sobre as cotações de petróleo

11 de julho de 2024 - 12:11

Por volta das 12h00, preço futuro do Brent estava em leve alta de 0,34%, a mesma variação positiva do WTI.

CONTRA-ATAQUE

China vai investigar se a União Europeia está impondo barreiras comerciais contra produtos chineses; entenda a disputa entre o bloco e o gigante asiático

10 de julho de 2024 - 15:36

A investigação da China é uma resposta a uma série de apurações da União Europeia sobre os subsídios estatais do gigante asiático

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar