🔴 É HOJE! COMO COMPRAR CARROS COM ATÉ 50% DE DESCONTO NA TABELA FIPE – CONHEÇA A ESTRATÉGIA

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
SEM BANHO-MARIA

Fogo alto: o revide de Israel contra o Irã coloca Netanyahu em uma panela de pressão — mas há uma saída possível

O mundo se pergunta quando Israel vai revidar à ofensiva iraniana e uma autoridade do país dá uma pista do que pode acontecer daqui para frente

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel
Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel. - Imagem: Alexandros Michailidis/Shutterstock

O ataque do Hamas e a campanha de retaliação de Israel na Faixa de Gaza aumentou a temperatura do Oriente Médio, colocando o mundo em alerta sobre a possibilidade de a guerra se alastrar pela região — e o futuro desse conflito está mais nas mãos de Benjamin Netanyahu do que nunca. 

Além do Hamas, desde outubro do ano passado, Israel tem enfrentado outros grupos apoiados pelo Irã, como o Hezbollah (Líbano) e os Houthis (Iêmen)

Mas foi o ataque israelense — ao qual Israel ainda não assumiu a responsabilidade — que matou vários comandantes de alto escalão na embaixada iraniana em Damasco, na Síria, em 1 de abril, que colocou o Oriente Médio em um caldeirão

  • VOCÊ JÁ DOLARIZOU SEU PATRIMÔNIO? A Empiricus Research está liberando uma carteira gratuita com 10 ações americanas pra comprar agora. Clique aqui e acesse.

Netanyahu cozinha junto com a resposta ao Irã

Agora, o mundo se pergunta quando Israel vai revidar à ofensiva iraniana. A resposta para essa questão, no entanto, não é fácil — não apenas pela necessidade do inesperado, mas porque o primeiro-ministro de Israel está em uma panela de pressão.

Netanyahu — que já enfrentou acusações de fraude e corrupção e protestos contra sua proposta de reforma judicial — encara uma pressão interna para assumir uma linha dura contra o Irã e uma pressão internacional para se retirar.

Não à toa, uma reunião na segunda-feira (15) do Gabinete de Guerra de Israel — composto por cinco autoridades e chefiado pelo premiê — terminou sem comentários sobre se o país honrará a promessa de “exigir um preço” de Teerã ou cederá aos apelos a uma resposta ponderada dos líderes internacionais.

O Irã, por sua vez, já indicou que a ofensiva do final de semana concluiu a retaliação — e agora cabe a Israel considerar os próximos passos. O Gabinete de Guerra israelense deve se reunir novamente nesta terça-feira (16) em busca de uma posição comum. 

IRÃ VS. ISRAEL: DÓLAR SOBE, TRUMP SE BENEFICIA, E CORTE DE JUROS PODE SER ADIADO

A saída possível para Israel agora

Os EUA, o Reino Unido, a França e a Jordânia ajudaram Israel na contenção dos ataques do Irã — e agora esperam uma resposta moderada de Netanyahu. 

O presidente norte-americano, Joe Biden, que anteriormente prometeu um compromisso firme com Israel, disse a Netanyahu que a Casa Branca não se juntaria às operações ofensivas contra o Irã. 

Ehud Olmert, antigo primeiro-ministro israelense, afirmou que a ausência de vítimas e os danos limitados resultantes do ataque do final de semana significam que Israel pode agora “agir de uma forma mais silenciosa, mais contida e mais reservada para de alguma forma pôr fim a um confronto com o Irã.”

Por isso, especula-se que Israel esteja preparando uma resposta ao Irã em nível diplomático. O ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, enviou a 32 líderes mundiais uma carta “apelando à imposição de sanções ao projeto de mísseis iraniano” e que o Corpo da Guarda Revolucionária seja declarado uma organização terrorista.”

*Com informações da CNBC e do The Guardian

Compartilhe

NÃO DEIXOU BARATO

Na mira de Xi Jinping: China impõe sanções à Boeing e mais duas empresas dos EUA por venda de armas a Taiwan

20 de maio de 2024 - 19:22

A medida é a mais recente de uma série de sanções anunciadas pelo Gigante Asiático nos últimos anos contra companhias pelo fornecimento de armamento a Taipé

INTERNACIONAL

Presidente do Irã morre em queda de helicóptero; aiatolá já decidiu quem será o sucessor

20 de maio de 2024 - 7:53

Além de Ebrahim Raisi, seu ministro das Relações Exteriores e mais 7 pessoas morreram no incidente, ocorrido no norte do Irã

LOBBY DE BANCOS

CEO do JP Morgan levou outros presidentes de bancos para pressionar Federal Reserve por normas mais frouxas

19 de maio de 2024 - 16:47

Agora, o Fed e dois outros reguladores querem um novo plano, que reduziria o aumento obrigatório de capital — de quase 20% — para os maiores bancos dos EUA

NO ORIENTE MÉDIO

Membro do gabinete de Guerra de Israel ameaça pedir demissão caso não haja plano para conflito em Gaza

19 de maio de 2024 - 14:55

Benny Gantz reconheceu o impacto prejudicial que a guerra está tendo sobre os civis, mas insistiu que a “decisividade” é necessária

NO ORIENTE MÉDIO

Helicóptero que levava presidente e ministros do Irã faz pouso forçado; equipes tentam acessar o local

19 de maio de 2024 - 13:23

Houve registro de chuva forte e neblina com algum vento, o que poderia ter causado uma instabilidade na aeronave

SÓ UMA PROMESSA?

Vai fechar o banco central, Milei? A nova declaração do presidente da Argentina sobre o futuro do BC do país

17 de maio de 2024 - 18:45

O presidente argentino está na Espanha e deu diversas declarações polêmicas a um público que o aplaudiu calorosamente; veja o que mais ele disse

O CUSTO DA NOVA ORDEM MUNDIAL

Xi Jinping na Rússia: o presidente da China está disposto a pagar o preço pela lealdade de Putin?

16 de maio de 2024 - 18:37

O líder chinês iniciou nesta quinta-feira (16) uma visita de Estado de dois dias à Rússia e muito mais do que uma parceria comercial está em jogo, mas o momento para Pequim é delicado

UM SUSPIRO

Os juros continuarão altos nos EUA? Inflação de abril traz alívio, mas Fed ainda tem que tirar as pedras do caminho

15 de maio de 2024 - 14:54

O índice de preços ao consumidor norte-americano de abril desacelerou para 3,4% em base anual assim como o seu núcleo; analistas dizem o que é preciso agora para convencer o banco central a iniciar o ciclo de afrouxamento monetário por lá

DESINFLAÇÃO ACELERADA

Boas notícias para Milei: Argentina tem inflação de um dígito e Banco Central promove corte de juros maior que o esperado

15 de maio de 2024 - 10:19

Os preços tiveram alta de 8,8% em abril, em linha com o esperado pelo mercado, que estimavam um avanço de preços entre 8% e 9%

UM PRATO QUE SE COME FRIO

A vingança da China: EUA impõem pacote multibilionário de tarifas a carros elétricos chineses e Xi Jinping quer revanche

14 de maio de 2024 - 20:03

O governo chinês disse que o país tomaria medidas resolutas para defender os seus direitos e interesses e instou a administração Biden a “corrigir os seus erros”

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar