🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Com a cotação nas alturas...

Vai assistir as Olimpíadas de Paris de perto? Saiba quais as melhores maneiras de levar euro hoje para a Europa

Se você vai sair de férias ou assistir aos Jogos Olímpicos na França no fim do mês, é importante ter euro em espécie, mas há outras maneiras seguras de levar a moeda; conheça e compare

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
2 de julho de 2024
10:26 - atualizado às 10:47
Torre Eiffel ao fundo, céu com nuvens acima. Na frente do monumento, símbolo das Olimpíadas
Olimpíadas 2024 ocorrerá em Paris, França. - Imagem: Wikimedia Commons

Se Paris já é um ímã natural de turistas, nas próximas semanas a Cidade Luz promete se tornar o centro do mundo. De 26 de julho a 11 de agosto, a capital da França será palco dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2024 e estima atrair cerca de 15 milhões de visitantes. Caso você seja um deles – ou se simplesmente está planejando uma viagem para a Europa nessas férias de meio de ano –, provavelmente já está (ou deveria estar) comprando euro para curtir o passeio.

Afinal, a cotação da moeda comum europeia vem subindo forte, com a desvalorização do real ante o aumento dos ruídos fiscais no Brasil. Na última segunda-feira (1⁰) por volta das 16h30, por exemplo, o euro estava cotado a nada menos que R$ 6,06.

Ter uma quantia em espécie é sempre recomendado, mas hoje em dia, para além do cartão pré-pago e do cartão de crédito internacional, os viajantes podem também ter uma conta em euros ou multimoedas com custos em geral menores que as demais alternativas.

Levar a maior parte dos recursos nas formas eletrônicas é, sem dúvida, mais prático e seguro, além de possibilitar novas conversões já no destino, caso o viajante precise de mais recursos.

O cartão de crédito em geral é a alternativa mais desvantajosa, porque além o IOF mais salgado (de 4,38% em 2024), o viajante ainda fica exposto às flutuações do câmbio, o que é péssimo se a moeda estrangeira se valorizar.

Vamos analisar o custo-benefício das principais formas de levar euro para o exterior e apresentar as opções mais baratas para quem quer economizar nesses tempos de câmbio salgado:

Dinheiro em espécie

Ainda é bastante importante levar dinheiro em espécie para viajar para o exterior, pois em muitos países, mesmo os mais desenvolvidos, o uso de cartões e transferências bancárias para fazer pagamentos não é tão disseminado quanto no Brasil.

Além disso, não se pode descartar a possibilidade de algum cartão acabar não passando ou de o viajante ficar momentaneamente sem internet.

Em uma viagem aérea internacional, você pode levar em espécie o equivalente a até US$ 10 mil sem precisar declarar à Receita Federal, o que corresponde a cerca de 9,2 mil euros ou R$ 53 mil, nas cotações atuais.

Acima desta quantia, é preciso preencher a Declaração Eletrônica de Bens de Viajantes (e-DBV) e apresentá-la à alfândega.

A compra de dinheiro em espécie em casas de câmbio está sujeita à cotação turismo da moeda, geralmente mais alta que a cotação comercial, além de um IOF de 1,1%.

É possível verificar o câmbio praticado por diferentes casas de câmbio da sua cidade em sites agregadores como o Melhor Câmbio, já com o IOF incluso, pois pode haver variação no preço do euro turismo de uma instituição para a outra.

Contas em euro com cartão de débito

As contas em dólar, que oferecem cartão de débito para compras presenciais e online, além de transferências e saques no exterior, já estão bastante disseminadas no mercado brasileiro.

Diversas instituições financeiras já as oferecem, e algumas até permitem ao usuário investir nos Estados Unidos. Além disso, em geral elas podem ser utilizadas em países que utilizam outras moedas, fazendo-se a conversão do dólar para a divisa local no ato do pagamento ou do saque.

Normalmente, porém, essa conversão não é gratuita. Por isso, numa viagem para a Europa, pode sair mais em conta adotar uma conta em euro.

As contas em euro são menos numerosas, mas já há algumas opções no mercado brasileiro. Entre os bancos digitais, C6 Bank e Nubank oferecem contas globais em dólar e euro integradas às suas contas brasileiras e no mesmo aplicativo, sendo que no Nubank a funcionalidade está liberada apenas para os clientes Ultravioleta, segmento de mais alta renda.

Outras duas alternativas são as contas multimoedas dos viajantes: a Wise, mais conhecida e já bastante popular, e a Revolut, que chegou ao Brasil mais recentemente. Ambas funcionam apenas como contas digitais em moeda estrangeira para fazer pagamentos e saques, sem integração a uma conta bancária brasileira tradicional.

No caso da Revolut, especificamente, é preciso fazer duas conversões de câmbio quando se deseja adquirir alguma moeda que não seja o dólar americano. Assim, para viajar para a Europa, o usuário deve primeiro converter para dólar e, em seguida, de dólar para euro.

  • Como proteger os seus investimentos: dólar e ouro são ativos “clássicos” para quem quer blindar o patrimônio da volatilidade do mercado. Mas, afinal, qual é a melhor forma de investir em cada um deles? Descubra aqui.

Em todos os casos, porém, o cliente consegue ficar isento de tarifas de abertura e manutenção da conta e tem acesso a uma cotação mais próxima da comercial, e não da turismo. Além disso, o IOF também é de 1,1%, assim como ocorre na compra de papel-moeda, mesmo se tratando de contas digitais com cartão de débito.

Na hora da conversão, é cobrado um spread de câmbio, que varia de uma conta para a outra. Mas, de uma forma geral, a compra de moeda estrangeira por meio dessas contas é mais barata que a compra direta de papel-moeda.

O “carregamento” da conta pode ser feito por meio de transferências bancárias comuns ou Pix, sendo, portanto, gratuito.

Custos das contas em euro

Wise

  • Abertura da conta: Gratuita.
  • Taxa de manutenção: Zero.
  • Spread de câmbio: Tarifa de 1,80% para a conversão de reais para euros.
  • Saques no exterior: 2 saques grátis por mês. Tarifa de R$ 6,50 por saque a partir do terceiro + 1,75% sobre o que exceder R$ 1.400 (se exceder).

Revolut

  • Abertura da conta: Gratuita.
  • Taxa de manutenção: Zero.
  • Spread de câmbio: 1,0% na conversão de reais para dólares em horário comercial e 1,5% fora do horário comercial.
  • Conversão de dólar para moedas não consideradas raras: para valores de até R$ 27 mil por mês, gratuita durante a semana ou 1,0% no fim de semana. Acima de R$ 27 mil aplica-se taxa adicional de 0,5% em ambos os casos sobre o valor excedente.
  • Conversão de dólar para moedas consideradas raras: idem ao anterior, mas com uma taxa adicional de 1,0%.
  • Saques no exterior: Gratuitos até a soma de R$ 1.600 ou 5 saques no mês, o que ocorrer primeiro. Acima disso, R$ 1 ou 2% do valor sacado, o que for maior.

C6 Conta Global

  • Abertura da conta: Gratuita para quem tem R$ 20 mil aplicados em CDB pelo app C6 ou para quem transfere no mínimo US$ 100 ou 100 euros para a conta. Nos demais casos, US$ 10.
  • Taxa de manutenção: Zero.
  • Spread de câmbio: 0,90% para valores entre 20 e 999,99 (dólares ou euros); 0,85% para valores entre 1.000 e 4.999,99; 0,75% para valores a partir de 5 mil.
  • Saques no exterior: Grátis na rede Chase nos EUA; US$ 5 ou € 5 na rede Cirrus.

Nubank Conta Global

  • Abertura da conta: Gratuita, mas disponível apenas para clientes Ultravioleta. Segmento é liberado pelo banco após análise de renda e crédito do cliente. A adesão ao Ultravioleta custa R$ 49/mês, mas ficam isentos da tarifa os clientes que gastem mais de R$ 5 mil/mês no cartão de crédito Nubank ou que têm no mínimo R$ 50 mil aplicados.
  • Taxa de manutenção: Zero.
  • Spread de câmbio: 0,90%.
  • Saques no exterior: 2 saques grátis por mês. Tarifa de R$ 6,50 por saque a partir do terceiro + 1,75% sobre o que exceder R$ 1.400 (se exceder).

Cartão pré-pago

Outra opção para quem não deseja levar apenas dinheiro em espécie são os cartões pré-pagos, vendidos em casas de câmbio e carregados na moeda desejada.

Por um lado, eles podem ser bastante práticos pois dispensam a abertura de uma conta em instituição financeira, mas por outro geralmente são opções mais caras que o dinheiro em espécie e as contas em moeda estrangeira.

Isso porque eles praticam a cotação turismo e estão sujeitos à cobrança do mesmo IOF do cartão de crédito – de 4,38% em 2024 – em vez do imposto de 1,1% cobrado nas outras modalidades.

No entanto, diante da concorrência das contas em moeda estrangeira, as casas de câmbio podem acabar oferecendo descontos para quem adquirir o cartão pré-pago.

Foi o que fez a rede Cotação, do banco Rendimento, que passou a cobrar apenas o equivalente a 1,1% de IOF, subsidiando o restante para quem adquirir seu cartao pré-pago e carregar nele um valor equivalente a até US$ 2 mil. Assim, a moeda sai pelo mesmo custo da compra em espécie.

“O pré-pago não envolve uma abertura de conta, então para quem viaja esporadicamente, é mais indicado. E tem tido uma procura muito boa. Depois do subsídio tivemos um aumento na procura do pré-pago de 30% a 40%”, diz Gustavo Gonçalves, gerente da Cotação, que oferece pré-pagos em dólares americanos, australianos ou canadenses, além de euros e libras esterlinas.

Gonçalves diz que a campanha é por tempo indeterminado, mas que a Cotação está mesmo de olho é no fim do IOF sobre as operações de câmbio, o que está previsto para ocorrer em 2028. Até lá, o tributo, no caso de cartões de crédito e pré-pagos, cairá 1 ponto percentual por ano.

Leia também

Os cartões pré-pagos podem ser mantidos após a viagem e recarregados novamente no futuro, em outra viagem. O usuário só deve ficar atento para possíveis taxas de inatividade ou data de validade do cartão.

No caso do cartão da Cotação, por exemplo, a taxa de inatividade só é cobrada se a carga do cartão for inferior a 100 unidades da moeda carregada. O cartão também tem validade, mas ele pode ser facilmente substituído – e o saldo transferido – em caso de outra viagem.

Quanto custa o euro em diferentes meios de pagamento?

Simulamos o custo do euro em cada um dos meios de pagamento citados para comparar. Confira:

Meio de pagamentoCotação do euro com tarifas e IOF
Papel-moedaR$ 6,34*
Cartão pré-pago**R$ 6,60*
WiseR$ 6,1669 (~R$ 6,17)
RevolutR$ 6,2046 (~R$ 6,20)
NubankR$ 6,1790 (~R$ 6,18)
C6 BankR$ 6,1789 (~R$ 6,18)
(*) Média para a cidade de São Paulo. (**) Com o IOF cheio de 4,38%, válido para 2024.
Simulação efetuada em 1⁰ de julho de 2024, às 16h30.
Fontes: Melhor Câmbio e aplicativo ou site das instituições.

VEJA TAMBÉM: Os DOIS MOTIVOS por trás da ALTA do DÓLAR que os analistas NÃO CONSEGUIRAM prever

Compartilhe

informações compartilhadas

Open Finance, esse grande desconhecido dos brasileiros

17 de julho de 2024 - 19:03

Pesquisa mostra que mais da metade da população nunca ouviu falar do sistema criado pelo Banco Central que permite compartilhamento de dados financeiros

PROTEÇÃO AOS PROPRIETÁRIOS

Nova lei diminui riscos de comprador da casa própria perder imóvel por dívida que não é dele, mas ainda há uma ameaça; entenda

17 de julho de 2024 - 6:07

Especialista em direito imobiliário afirma que nova legislação aumenta segurança jurídica, mas ainda não elimina de vez os riscos

AUTOMÓVEIS

Pequena, média ou grande? Um guia completo das picapes à venda no Brasil

14 de julho de 2024 - 7:26

Seja para trabalhar, levar a família ou apenas desfilar, as picapes partem de R$ 100 mil — e tem chinesa a preço avassalador chegando por aí

NOME SUJO?

20 milhões de brasileiros estão no Serasa e não sabem; veja se você é um deles e limpe seu nome

13 de julho de 2024 - 13:57

Pesquisa do Serasa aponta ainda que 51 milhões de pessoas nunca consultaram a situação do próprio CPF

PONTO A PONTO

IVA, cashback, imposto do pecado, carne na cesta básica: entenda a reforma tributária em 11 pontos

12 de julho de 2024 - 10:12

Regulamentação da reforma tributária passou na Câmara e agora precisa ser aprovada pelo Senado antes de seguir para sanção presidencial

Faz um Pix

Mais um vazamento de dados do Pix; BC diz que, desta vez, informações são de clientes da 99Pay

10 de julho de 2024 - 11:33

Exposição de informações de clientes ocorre num momento em que o meio de pagamento registra recordes sucessivos de uso diário

A DINHEIRISTA

A pensão alimentícia que pago está indo inteira para a mãe do meu filho. Ele nem sequer mora mais no Brasil. Posso pedir reembolso?

8 de julho de 2024 - 11:38

Se fôssemos fazer um ranking de temas que mais recebemos dos leitores de A Dinheirista, pensão alimentícia certamente estaria no top 5. São dezenas de dúvidas na nossa caixa de e-mail, em especial depois de um vídeo sobre o assunto ter viralizado nas redes sociais.  A maioria tem um tópico em comum: é possível pedir […]

ONDE INVESTIR NO SEGUNDO SEMESTRE

Dólar: se você ainda não tem uma parte do patrimônio na moeda norte-americana, a hora de investir é agora

8 de julho de 2024 - 6:07

Seja para bancar uma viagem, quitar alguma dívida em moeda forte ou proteger uma parte do portfólio, especialistas avaliam que é hora de comprar

TRANSFERÊNCIA

Passo a passo: saiba como fazer a portabilidade da dívida do cartão de crédito

6 de julho de 2024 - 10:42

Especialistas e órgãos de defesa do consumidor orientam aos clientes para terem cuidado ao escolher a nova instituição para migrar a dívida do cartão de crédito

Grana no fundo da gaveta

Dinheiro esquecido: Banco Central alerta que ainda há bilhões esperando pelos seus donos; veja se você tem algo a receber

5 de julho de 2024 - 19:15

Após mais de dois anos da criação do sistema de identificação de valores a receber, apenas 32% dos correntistas buscaram seus recursos parados

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar