🔴 AS BIG TECHS ESTÃO ‘SUGANDO’ DINHEIRO DA BOLSA BRASILEIRA? – VEJA COMO SE PROTEGER

Camille Lima
Camille Lima
Repórter no Seu Dinheiro. Estudante de Jornalismo na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Já passou pela redação do TradeMap.
MOMENTO DELICADO

Mar revolto dos mercados balança setor de mineração — mas Itaú BBA revela duas apostas em ações para atravessar a tempestade (e lucrar com isso)

Os analistas elegeram dois papéis para aumentar os ganhos da carteira de investimentos — mas rebaixaram as recomendações para outra dupla de ações; confira

Camille Lima
Camille Lima
4 de abril de 2024
16:02 - atualizado às 15:29
Usiminas (USIM5), Vale (VALE3), CSN (CSNA3) e CSN Mineração (CMIN3)
Usiminas (USIM5), Vale (VALE3), CSN (CSNA3) e CSN Mineração (CMIN3) - Imagem: Divulgação/Firefly Adobe

O setor de mineração atualmente encontra-se em uma espécie de “mar revolto”. Com nuvens tempestuosas dos preços globais do aço e o recuo da maré de procura de minério de ferro na China, os principais players do mercado viram seus navios balançarem quase ao ponto de tombar.

Porém, atualmente existem duas empresas que não só devem conseguir se manter “de pé”, como também surfar as ondas desse momento, segundo o Itaú BBA.

Na visão dos analistas, as melhores apostas para atravessar esse momento são empresas negociadas a múltiplos relativamente baratos e que poderiam gerar fluxo de caixa livre (FCF) decente em 2024, “até mesmo devolvendo dinheiro aos acionistas”, apesar do momento delicado para o mercado de commodities metálicas. 

Isso porque, nas contas do banco, os preços do minério de ferro devem chegar a US$ 110 por tonelada em 2024, uma redução em relação à média de US$ 120 por tonelada em 2022 e 2023.

É por esses motivos que o banco selecionou dois papéis para enfrentar a tempestade e aumentar os ganhos da carteira de investimentos — e rebaixou as recomendações para outra dupla de ações.

A hora de Usiminas (USIM5) e Vale (VALE3)

Do lado positivo, a ação da Usiminas (USIM5) foi elevada para “outperform” — equivalente a “compra” —, com preço-alvo de R$ 12 para o fim de 2024, implicando em um potencial de valorização de 17,9% em relação ao último fechamento.

“A revisão em alta deve-se principalmente à nossa visão mais otimista sobre uma potencial descida nos custos de produção de aço durante os próximos trimestres, o que provavelmente sustentará uma dinâmica positiva de lucros para as ações”, escreveram os analistas.

De acordo com o banco, atualmente a ação da Usiminas (USIM5) oferece uma “proposta de risco-recompensa decente”, apoiada pelo rendimento de 8% do fluxo de caixa livre esperado para 2024 e pela potencial alta atraente de 18% do fluxo de caixa descontado.

Nas contas do Itaú BBA, a Usiminas é negociada a um múltiplo de valor de firma sobre Ebitda (EV/Ebitda) de 3,6 vezes em 2024, “o que parece barato em comparação aos níveis históricos”.

Já a recomendação de compra para Vale (VALE3) foi mantida pelos analistas devido à geração forte de retorno total ao investidor (TSR) e de fluxo de caixa livre (FCF). 

Porém, o Itaú BBA reduziu o preço-alvo das ADRs (recibos de ações) da mineradora para US$ 14 para dezembro deste ano.

“A revisão para baixo se deve principalmente à incorporação da nossa nova curva de preços de minério de ferro.”

Os analistas projetam um retorno total para o acionista de 23% para 2024, considerando 16% de crescimento do fluxo de caixa descontado e 7% de rendimento (yield) de dividendos. 

No olho da tempestade

Enquanto a Usiminas (USIM5) e a Vale (VALE3) puxam a visão otimista no setor de mineração, outros dois papéis estão “no olho da tempestade” na avaliação dos analistas. 

O banco rebaixou as ações da CSN (CSNA3) para “underperform”, correspondente a “venda”, com preço-alvo de R$ 15, implicando em uma leve queda potencial de 2%.

Segundo o banco, o rebaixamento acompanha a perspectiva mais fraca de valuation e o forte ciclo de investimentos na divisão de mineração nos próximos anos, que deve resultar em uma geração de fluxo de caixa livre negativa.

Nas contas do Itaú BBA, a empresa deve somar um Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 9,45 bilhões em 2024, contra uma expectativa anterior de R$ 12,8 bilhões.

A redução nas projeções deve-se aos menores preços realizados do minério de ferro e aos preços domésticos mais baixos do aço. 

Os analistas avaliam que a companhia atualmente é negociada a um múltiplo de 6 vezes a relação EV/EBITDA.

Já a recomendação para CSN Mineração (CMIN3) foi revisada para “marketperform” (neutro), com preço-alvo de R$ 6, um potencial de alta de 15%, devido ao potencial de valorização limitado de fluxo de caixa descontado.

“Vemos a empresa sendo negociada a 5,9 vezes EV/EBITDA para 2024, um prêmio de cerca de 37% em relação à Vale e nos impedindo de sermos mais otimistas com as ações”, disse o Itaú BBA.

Compartilhe

MEIOS DE PAGAMENTO

Cielo se prepara para sair da bolsa e uma dupla de empresas de maquininhas pode surfar essa onda, mas o Santander tem uma favorita

12 de junho de 2024 - 17:33

Os analistas avaliam que existe uma boa janela de curto prazo para a Stone e a PagSeguro em meio à queda das ações e à OPA da Cielo; veja quem é a preferida

Rali das “meme stocks”

‘Efeito Roaring Kitty’ faz GameStop levantar mais de US$ 2 bilhões com venda de ações

12 de junho de 2024 - 16:04

Varejista de videogames vendeu 75 milhões de ações após volta de trader que inspirou o épico ‘short squeeze’ em 2021

Mercado acionário

Bank of America corta preço-alvo para ações de bancões brasileiros, mas mantém recomendação

12 de junho de 2024 - 15:10

Combinação de receitas diversificadas, funding, controle de custos e balanços fortes são os fatores positivos apontados pelos analistas

DINHEIRO NO BOLSO

Dividendos milionários: Grupo Mateus (GMAT3) vai pagar mais de R$ 134 milhões para acionistas; confira os prazos e como receber

12 de junho de 2024 - 12:50

O anúncio da distribuição do JCP ocorre em um momento positivo para a companhia, que vem contrariando a crise no varejo

Quem vai ficar com ela

Acionistas da Braskem descartam negociação com a Petrochina

12 de junho de 2024 - 11:42

Companhia informou à CVM que seus controladores, Petrobras e Novonor, negam as negociações

UM NOVO PEDIDO

Vale (VALE3), BHP e Samarco fazem nova proposta bilionária por desastre em Mariana — mas ainda é menos do que o governo exige

12 de junho de 2024 - 10:39

Junto com a BHP Brasil e a Samarco, as mineradoras se propuseram a pagar R$ 140 bilhões pela tragédia na barragem

MAIS UMA FATIA

Do papel ao pano, Suzano (SUZB3) entra no ramo têxtil e compra 15% de fabricante de fibras por cerca de R$ 1,3 bilhão

12 de junho de 2024 - 8:54

Além da aquisição, o acordo com acionistas da B&C inclui o direito da Suzano a duas cadeiras no conselho de administração da Lenzing

ENTREVISTA EXCLUSIVA

Diversidade de gênero: presidente da ABVCAP anuncia iniciativa para impulsionar mulheres em carreiras de investimentos

11 de junho de 2024 - 19:45

Em entrevista ao Seu Dinheiro, Priscila Rodrigues, presidente da Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital contou detalhes do projeto de incentivo a mulheres

CONFIRA OS CENÁRIOS

Rede D’Or (RDOR3) quer recomprar até R$ 1 bilhão em ações e deve usar reserva de lucros para isso; como ficam os acionistas?

11 de junho de 2024 - 18:38

A empresa poderá adquirir até 30 milhões de ações ordinárias, soma que corresponde a 10% do total em circulação no pregão de ontem

APÓS FUSÃO FRUSTRADA

Santander corta o preço-alvo da PetroReconcavo (RECV3), mas mantém recomendação de compra e ações saltam 4% na bolsa

11 de junho de 2024 - 15:25

Para o segundo semestre, a expectativa é de que a PetroReconcavo pise no acelerador, para uma média de 27 mil boed até o fim de 2024 e de 31 mil boed em 2025

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar