🔴 É HOJE! COMO COMPRAR CARROS COM ATÉ 50% DE DESCONTO NA TABELA FIPE – CONHEÇA A ESTRATÉGIA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
MADE IN BRAZIL

O milho que vale ouro: quebra de safra da África dá tração ao agronegócio brasileiro e pode mexer com gigantes como a BRF (BRFS3)

A seca provocada pelo El Niño reduziu o cultivo de milho da África do Sul em pelo menos 20% e a do Zimbábue em cerca de 60%

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
15 de abril de 2024
14:15 - atualizado às 13:42
Exportações de milho do Brasil
Exportações de milho do Brasil - Imagem: Canva

Pela primeira vez desde 2014, o Zimbábue está considerando importar milho branco do Brasil. Além dele, Malawi e África do Sul também articulam acordos para conseguir driblar problemas nas lavouras regionais. 

O fenômeno climático El Niño não afetou apenas as plantações da Argentina, mas também gerou uma forte seca que fez disparar o preço do cacau.

Enquanto os países do noroeste africano lidavam com os problemas na lavoura da matéria-prima do chocolate, o sul e sudeste encaravam a escassez da produção do milho. 

Na região, o milho amarelo é mais comum para ração animal. Já a variedade branca é usada no preparo de alimentos tradicionais da cultura dos países produtores. O primeiro é mais fácil de ser encontrado no mercado internacional; já o segundo é um pouco mais difícil. 

Essa escassez se reflete nos preços: o contrato futuro de milho branco atingiu a marca recorde de 5.518 rands (US$ 291) por tonelada no pregão da África do Sul. Desde o começo de 2024, o preço da commodity subiu 40%. 

Impacto na produção de milho branco

Malawi, Zâmbia e Zimbábue chegaram a declarar estado de “desastre nacional” devido às safras perdidas — o último país chegou a registrar uma queda de 60% na safra em relação ao ano passado. 

Em situações normais as três nações são autossuficientes ou podem suprir a maior parte de suas próprias necessidades, com eventuais deficiências cobertas por importações da África do Sul, o maior produtor da região.

Porém, isso pode ser difícil este ano, já que a seca provocada pelo El Niño reduziu a safra de milho da África do Sul em pelo menos 20% no mesmo período.

“Vou liderar uma delegação a São Paulo no final deste mês para buscar mais de 300.000 toneladas de milho”, disse Tafadzwa Musarara, presidente da Associação de Moageiros de Grãos do Zimbábue. 

As importações podem causar um segundo problema. O preço de transporte por navio do milho deve pressionar ainda mais a inflação do Zimbábue, que já acumula alta de 55,3% em 12 meses. 

E o Brasil nisso tudo

O país que se orgulha de ser o “celeiro do mundo” tem uma vantagem competitiva em relação a outras nações.

Tanto pela capacidade produtiva quanto pela capacidade de diversificação da lavoura, o Brasil é um dos melhores posicionados para suprir essa necessidade. 

Para o JP Morgan, o futuro da exportação de commodities poderia ser melhor. 

Em relatório recente, os analistas do banco norte-americano afirmam que o aumento dos preços do milho e do farelo de soja poderiam adicionar ainda mais pressão à operação de uma das principais produtoras do país, a BRF (BRFS3)

Além disso, há uma projeção de que os preços do milho permaneçam mais comportados em 2024, devido à ampla oferta do grão após uma safra melhor que o esperado.

Vale relembrar que a commodity agrícola é atualmente o principal gasto da BRF (BRFS3).

*Com informações da Bloomberg

Compartilhe

LOTERIAS FEDERAIS

Em meio a indecisão da Mega-Sena e Quina, Lotofácil faz milionário no mais recente sorteio; veja loterias federais hoje

19 de maio de 2024 - 10:08

Com a Sena não cravada, o prêmio do próximo concurso, a ser realizado no dia 21 de maio de 2024, sobe para R$ 37 milhões

ATENÇÃO, DEVEDOR

Desenrola Brasil: este é o último fim de semana para aderir à Faixa 1 do programa de renegociação de dívidas; veja como

18 de maio de 2024 - 15:38

Dados do Ministério da Fazenda apontam que, até a semana passada, 14,75 milhões de pessoas já haviam renegociado cerca de R$ 51,7 bilhões em dívidas

DURANTE ENCONTRO

Após 30 anos do Plano Real, ex-presidentes do Banco Central criticam condução da política fiscal

18 de maio de 2024 - 10:19

Ao mesmo tempo, Roberto Campos Neto evitou comentários sobre a condução da política fiscal atual, mas voltou a defender o projeto que concede autonomia financeira ao BC

Mudanças climáticas

Investimento verde é coisa de gringo, mas isso é bom para nós: saiba quais são as apostas ESG do investidor global no Brasil

17 de maio de 2024 - 6:33

Saiba para quais segmentos e tipos de negócios o investidor global olha no Brasil, segundo Marina Cançado, idealizadora de evento que aproximará tubarões internacionais com enfoque ESG do mercado brasileiro

LOTERIAS

Mega-Sena e Quina decepcionam de novo, mas Lotofácil faz 2 meio-milionários — e eles apostaram de um jeito diferente

17 de maio de 2024 - 5:42

Nenhum dos ganhadores da Lotofácil apostou em uma casa lotérica; na Mega-Sena e na Quina, os prêmios acumulados têm oito dígitos

E VEM MAIS POR AÍ

Uma ajuda extra da Receita: lote de restituição do Imposto de Renda para o Rio Grande do Sul supera R$ 1,1 bilhão

16 de maio de 2024 - 19:46

Além de incluir os gaúchos no primeiro lote de restituição, a Receita promoverá medidas para ajudar o contribuinte do estado castigado pelas enchentes

LOTERIAS

Lotofácil faz 2 meio-milionários, Quina acumula de novo e Mega-Sena oferece prêmio turbinado

16 de maio de 2024 - 5:58

Lotofácil sai para uma aposta comum e para um apostador “teimoso”; concurso de final 5 turbina prêmio da Mega-Sena

LOTERIAS

Bolão fatura Lotofácil e faz 4 milionários de uma vez só; Mega-Sena acumula e prêmio dispara

15 de maio de 2024 - 6:02

A Lotofácil estava acumulada ontem, o que engordou o prêmio da “máquina de milionários”; Quina acumulou de novo

MULTIMERCADOS

Ex-colega de Campos Neto no BC, gestor da Itaú Asset aposta em Copom mais rígido com os cortes na Selic daqui para frente

14 de maio de 2024 - 19:58

Ex-diretor de política monetária do BC entre 2019 e 2023 — sob o comando de RCN —, o economista Bruno Serra revelou o que espera para os juros no Brasil

LANCE REVISADO

Ata do Copom mostra divisão mais sutil entre Campos Neto e diretores escolhidos por Lula

14 de maio de 2024 - 10:18

Divergência entre os diretores do Banco Central se concentrou no cumprimento do forward guidance, mas houve concordância sobre piora no cenário

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar