🔴 ALGORITMO MOSTRA COMO BUSCAR ATÉ R$ 3 MIL POR DIA – CONHEÇA

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Títulos públicos

Como títulos como o RendA+ e o Educa+ poderiam ajudar na prevenção e nos reparos de desastres climáticos como os do Rio Grande do Sul

“Pai” do Tesouro RendA+ defende que títulos públicos voltados para a aposentadoria e a educação podem ser usados para o governo captar recursos para investir em infraestrutura em um cenário de mudanças climáticas e até mesmo viabilizar doações

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
21 de maio de 2024
9:30 - atualizado às 10:30
Enchente, desastre natural, efeito climático
Enchente no Rio Grande do Sul em maio de 2024. Imagem: Defesa Civil/RS

Para além de mitigar os desafios que os países têm de financiar a Previdência Social e a educação dos seus jovens, títulos públicos como o Tesouro RendA+ e Tesouro Educa+ poderiam ser utilizados também para financiar as necessidades de infraestrutura para prevenir ou reparar os danos causados por desastres climáticos, como as enchentes que afetaram o Rio Grande do Sul.

Quem defende essa ideia é o próprio idealizador dos conceitos por trás dos dois títulos do Tesouro Direto destinados ao investimento para a aposentadoria e o pagamento de uma faculdade para os filhos, o especialista em previdência e PhD em Economia e Finanças Gerenciais pelo M.I.T., Arun Muralidhar.

Em artigo escrito em coautoria com a jornalista Luciene Miranda, Muralidhar lembra que os aportes feitos pelos investidores do Tesouro Direto no RendA+ e no Educa+, tipicamente investimentos de longo prazo, podem ser usados pelo governo para investimentos em infraestrutura, os quais podem evitar futuras catástrofes em um cenário de mudanças climáticas ou ajudar na reconstrução após esse tipo de desastre.

Além disso, esses recursos podem ajudar o governo a se tornar menos dependente de investidores privados internacionais, a menos no que diz respeito a investimentos em infraestrutura.

"Dada a crise no Sul, tanto os investidores individuais quanto, no futuro, fundos de pensão institucionais brasileiros vão mostrar solidariedade por meio do aumento dos seus investimentos em RendA+, uma vez que a segurança da sua aposentadoria irá prover o governo de fundos de longo prazo para reconstruir infraestrutura devastada e aprimorar a resiliência climática do setor de agricultura", escrevem Miranda e Muralidhar.

Outra funcionalidade que poderia ser utilizada numa situação de emergência como essa, desta vez para doações, é o mecanismo de investimento coletivo do Tesouro Educa+, que funciona como se fosse uma vaquinha, por meio da qual vários adultos podem investir para, no futuro, pagar pela educação de um mesmo jovem.

"O esquema de investimento coletivo também pode ser usado para ajudar crianças pobres no Sul do Brasil a terem fundo reservados para dar a elas a ambição de estudar duro e quebrar o ciclo da pobreza", defendem os autores.

Eles exemplificam dizendo que os moradores de outras regiões do Brasil poderiam ajudar os pais gaúchos por meio desse mecanismo.

Modelo do RendA+ e do Educa+ pode ser replicado por outros países e para outros objetivos

Lançado em janeiro de 2023, o Tesouro RendA+ tinha, até abril deste ano, quase 80 mil investidores, que alocaram no título cerca de R$ 1,5 bilhão; já o Educa+ totalizava 63 mil investidores e R$ 100 milhões, do seu lançamento em julho de 2023 até abril deste ano.

Em ambos os casos, o investidor compra títulos aos poucos ou de uma única vez para receber uma renda pré-definida no futuro, durante alguns anos, corrigida pela inflação.

No caso do RendA+, o investidor define quanto quer receber na aposentadoria e em que idade deseja se aposentar, para, lá na frente, receber uma renda por 20 anos; já no Educa+, o investidor define o valor da mensalidade de uma faculdade ou curso técnico para um menor de idade e a idade em que ele deve iniciar os estudos, para receber uma renda no futuro por cinco anos.

Veja aqui mais detalhes sobre o funcionamento do Tesouro RendA+ e aqui a explicação sobre como funciona o Tesouro Educa+.

Muralidhar defende que o modelo desses títulos poderia ser replicado por outros países que desejam endereçar seus gargalos de financiamento a infraestrutura, seguridade social e estudos superiores dos jovens, ou até mesmo outros objetivos sociais.

Recentemente, ele defendeu, por exemplo, a criação de um novo tipo de título, nos mesmos moldes, de forma a recompensar as mulheres que tivessem filhos, como medida para evitar o declínio populacional que já afeta muitos países, sobretudo desenvolvidos.

Compartilhe

BC NA MIRA DO GOVERNO

Lula volta a soltar farpas contra Campos Neto e cita “nervosismo especulativo” com dólar

21 de junho de 2024 - 18:29

Presidente também chamou o líder do Banco Central de “adversário político”

DINHEIRO NO BOLSO

Receita Federal abre consulta ao segundo lote da restituição do Imposto de Renda; veja como acessar

21 de junho de 2024 - 9:09

Mais de 5,75 milhões de brasileiros serão beneficiados no segundo lote da restituição do Imposto de Renda. Contribuintes do Rio Grande do Sul fazem parte da lista de prioridades

LOTERIAS

Mega-Sena acumula e Lotofácil tem 3 ganhadores, mas só se fala na Quina de São João

21 de junho de 2024 - 5:37

Ganhadores da Lotofácil estão bem espalhados pelo Brasil; prêmio da Mega-Sena vai a R$ 86 milhões; Quina de São João corre amanhã

FUTEBOL

Brasil x Argentina: qual é a seleção mais valiosa? A resposta pode surpreender; veja os dias dos jogos da seleção na Copa América

20 de junho de 2024 - 16:12

A Copa América de 2024 começa hoje nos Estados Unidos, mas a estreia do Brasil está programada apenas para a próxima segunda-feira

LOTERIAS

Ainda não jogou na Quina de São João? Corre que ainda dá tempo; veja como apostar

20 de junho de 2024 - 5:52

Enquanto a Quina de São João se aproxima, a Lotofácil continua justificando a fama de loteria menos difícil do Brasil

SEM BOLA DIVIDIDA NO BC

Campos Neto interrompe cortes na Selic: em decisão unânime, Copom mantém a taxa básica de juros em 10,5% ao ano

19 de junho de 2024 - 18:39

A decisão vem em linha com as expectativas do mercado, que já esperava a manutenção após a deterioração do cenário fiscal brasileiro e as incertezas sobre o rumo dos juros nos Estados Unidos

LOTERIAS

Enquanto a Mega-Sena acumula de novo, a Lotofácil faz o primeiro milionário da semana

19 de junho de 2024 - 5:43

Uma pessoa ganhou sozinha na Lotofácil e o prêmio da Mega-Sena está agora em R$ 60 milhões; enquanto isso, a Caixa Econômica Federal se prepara para sortear a Quina de São João

AVANÇO OU RETROCESSO?

O Banco Central vai virar empresa pública? Senado discute a autonomia financeira do BC — veja o que pensam especialistas 

18 de junho de 2024 - 19:10

Audiência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) foi realizada nesta terça-feira (18) com a presença de economistas e ex-presidentes do BC

E AGORA, SHEIN?

A taxação das ‘blusinhas’ vem aí: Lula dá sinal de que vai sancionar impostos sobre compras internacionais — mas não está feliz com isso

18 de junho de 2024 - 13:29

Para o petista, a decisão de taxar as compras internacionais de até US$ 50 com um imposto de 20% é “equivocada”; entenda a situação

MERCADOS HOJE

Dólar salta na abertura e vai a R$ 5,44: o ataque de Lula à Campos Neto que fez o real cair ainda mais

18 de junho de 2024 - 10:32

O presidente da República deu entrevista à Rádio CBN de Londrina e voltou a criticar o posicionamento político do chefe da autoridade monetária

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar