🔴 SÉRIE EMPIRICUS IN$IGTS: +100 RELATÓRIOS CORTESIA – LIBERE GRATUITAMENTE

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
UMA FANTÁSTICA FÁBRICA DE CHOCOLATES

Noites do Terror com chocolate? O que a Cacau Show pretende com a compra do Playcenter

Valor da compra do Grupo Playcenter pela Cacau Show não foi revelada; negócio ainda depende da aprovação do Cade

Cacau Show compra Playcenter
Cacau Show compra Playcenter - Imagem: Montagem Seu Dinheiro / Com o auxílio da inteligência artificial Leonardo.IA

Quem viveu a adolescência na passagem dos anos 1980 para os 1990 tem vivas as lembranças das Noites do Terror do Playcenter. Eram tempos nos quais Jason, Freddy Krueger e Chucky faziam sucesso nos cinemas. Hoje, quem viveu essa época e ouviu falar que a Cacau Show comprou todas as marcas e ativos do Playcenter provavelmente imaginou: e se as Noites do Terror tivessem oompa-loompas, Willy Wonkas e muito chocolate?

Fica a sugestão para Alexandre Costa, fundador e CEO da Cacau Show.

Ele afirma ter a pretensão de direcionar cada vez mais o negócio de sua fábrica de chocolates para o show — e a compra das marcas e ativos do Grupo Playcenter é mais um passo para a entrada da empresa no ramo do entretenimento.

O valor do negócio não foi informado e a transação ainda precisa ser aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Faz parte do meu (Cacau) Show

A Cacau Show não vai abandonar a produção nem a venda de chocolates. Nem faria sentido.

Fundada há 35 anos, a empresa tem mais de 4 mil lojas espalhadas pelo Brasil, entre estabelecimentos próprios e franquias.

De acordo com Costa, a entrada no mundo do entretenimento é um passo para a jornada da marca — e a venda de chocolates continuará fazendo parte do “show” da Cacau Show.

A história do Playcenter

Por quase 40 anos, o Playcenter foi um parque de diversões estabelecido em São Paulo.

O Playcenter ocupava um imenso terreno às margens da Marginal Tietê, entre as pontes do Limão e da Casa Verde.

Visitar o Playcenter foi o sonho de consumo de uma geração, pois ele reproduzia as atrações dos grandes parques dos Estados Unidos e da Europa.

Em 2012, o parque fechou seus portões. A empresa, no entanto, continuou suas operações de lazer indoor.

Atualmente há dois modelos de negócio em shoppings centers, os Playlands e o Playcenter Family - espécie de mini parques de diversões para a família.

O que a Cacau Show vai fazer com o Playcenter

A Cacau Show ainda está avaliando a melhor maneira de unir suas operações com as do Playcenter.

Em um primeiro momento, disse Alexandre Costa, os produtos da Cacau Show serão mais ofertados nos Playlands.

Já para o Grupo Playcenter, a decisão de vender a operação exclusivamente para a Cacau Show foi tomada com base na identificação de valores e propósitos compartilhados entre as duas empresas.

"Ao longo do tempo, percebi em Alê Costa uma conexão especial em relação à visão de negócios e ao compromisso em proporcionar experiências memoráveis”, afirmou Marcelo Gutglas, fundador do Grupo Playcenter, em nota.

“Logo, tivemos a certeza de que seria a pessoa ideal para se tornar o sucessor do legado e do pioneirismo do Playcenter no segmento de Parques de Diversões do Brasil."

*Com informações do Estadão Conteúdo.

Compartilhe

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar