🔴 ALGORITMO MOSTRA COMO BUSCAR ATÉ R$ 3 MIL POR DIA – CONHEÇA

O fundo do poço está próximo? Decisão do Fed sobre juros nos EUA, inflação no Brasil, fusão no setor de saúde e outros destaques do dia que indicam o tom do Ibovespa

Mercado aguarda posicionamento do Fed sobre inflação nos EUA nesta quarta-feira; nova marca de gestora de FII e compra milionária da Ultragaz também entram no radar dos investidores

11 de junho de 2024
8:42
Investidor vivencia volatilidade nos mercados financeiros, com alta e queda da bolsa
Investidor vivencia volatilidade nos mercados financeiros - Imagem: DALL-E/ChatGPT

Previsões apocalípticas abundam ao longo da história da humanidade. Difícil encontrar quem nunca tenha ouvido — ou até dito — que “o mundo vai acabar”, ou então que “o fim está próximo”.

Pelos cálculos cientistas, porém, nosso Sol vai apagar só daqui a 5 bilhões de anos. Então o mundo não vai acabar tão cedo — a não ser que um meteoro dê as caras por aqui antes, claro.

Convenhamos, não é fácil segurar a onda do pessimismo quando a bolsa emplaca tantas séries negativas por tantos meses.

Ontem, por exemplo, o Ibovespa fechou praticamente estável (queda de 0,01%, só para não perder o costume recente). Há quem interprete isso como um sinal de que o fundo do poço esteja próximo. Outros temem que exista um alçapão.

O fato é que os mercados financeiros migraram de um otimismo eufórico a um pessimismo apocalíptico na velocidade da luz.

No início de 2024, havia quem previsse sete cortes de juros pelo Fed até o fim do ano. Mas 2024 nem chegou à metade e o temor agora é de que o banco central norte-americano corte os juros apenas uma vez. Ou talvez só em 2025.

O motivo de tanto pessimismo é a persistência da inflação. Não é só nos EUA nem no Brasil, mas no mundo inteiro. Talvez o meteoro da pandemia tenha deixado de herança um quadro de covid longa nos modelos usados pelos economistas para tomar suas decisões.

De qualquer modo, enquanto o Fed se prepara para novos dados de inflação e para uma nova decisão de juros (tudo isso amanhã), hoje a bolsa brasileira deve repercutir o IPCA de maio.

Analistas anteveem uma aceleração da inflação em relação a abril. A expectativa é de que o IPCA passe de +0,38% para +0,40% na leitura mensal e de +3,69% para +3,87% no acumulado em 12 meses.

O resultado será fundamental para as sinalizações futuras do Copom, que se reúne na semana que vem para definir os juros por aqui com as expectativas de inflação ainda desancoradas.

Seja como for, cenários de juros altos costumam ser ruins para a bolsa — e até levam alguns investidores a considerar que o fim para os ativos de risco seja iminente.

No entanto, é possível que o fundo do poço esteja mais próximo do que o fim do mundo. Isso porque os juros tão altos e os riscos fiscais em pauta deixam os ativos brasileiros cada vez mais baratos.

Por mais que o Fed demore a cortar os juros, outros bancos centrais de economias desenvolvidas já começam a aliviar as taxas. Além disso, a bolsa não vai cair para sempre.

Enquanto o Sol não apaga e o meteoro não vem, acompanhe a cobertura de mercados do Seu Dinheiro.

O que você precisa saber hoje

ENTREVISTA EXCLUSIVA
Mérito, do fundo imobiliário MFII11, quer mostrar que não é só mais uma gestora e CEO anuncia nova marca e expansão dos negócios.
 A casa decidiu reforçar os investimentos e desenvolvimento imobiliário, a tese por trás do FII que é seu carro-chefe e registra a maior alta do IFIX neste ano.

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS
Semana de decisão: Postura do Fed sobre juros e inflação nos EUA vão definir rumo dos mercados no curto prazo.
 Na visão do colunista Matheus Spiess, esta quarta-feira será crucial para a narrativa macroeconômica global — e países emergentes como o Brasil podem estar prestes a receber uma má notícia.

DISPUTADA
Quem vai ficar com ela? Amil e Alliança Saúde (AALR3) fazem proposta de fusão com o Grupo Dasa (DASA3).
 Empresa de medicina diagnóstica está em negociações avançadas para fusão de hospitais com a Amil; Alliança Saúde também está preparando nova proposta.

MAIS UMA AQUISIÇÃO
Quem é a Witzler, empresa comprada pela Ultragaz por US$ 110 milhões.
 De olho no mercado livre de energia, empresa controlada pela Ultrapar assume 51,7% de participação no negócio.

HISTÓRIA (DO) REAL
O dia em que o Plano Real quase foi pelo ralo: um relato de Gustavo Franco.
 Durante evento realizado na semana passada em SP, o ex-banqueiro central contou os motivos que deixaram o Plano Real por um fio antes mesmo de seu lançamento.

Uma boa terça-feira para você!

Compartilhe

Mande sua pergunta!

Minha filha mora com o marido em imóvel que recebi de herança; agora ele quer que eu transfira o bem para ambos, o que fazer?

22 de junho de 2024 - 8:01

Casal quer reformar o imóvel e deseja que leitora passe o bem para o nome deles, mas ela quer proteger sua filha em caso de divórcio

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Após 3 sessões em alta, Ibovespa tenta interromper sequência de quatro semanas no vermelho enquanto investidores tateiam o fundo do poço

21 de junho de 2024 - 7:52

Com o dólar na faixa de R$ 5,46, os mais pessimistas ainda temem que o piso do Ibovespa contenha algum fundo falso, talvez um alçapão

SEXTOU COM O RUY

Chegou a hora de comprar ações? Para quem não tem pressa, a bolsa tem boas oportunidades

21 de junho de 2024 - 6:09

A bolsa voltou para os menores níveis desde novembro de 2023, com sérios receios de que a coisa iria desandar de vez. Mas será que podemos apostar nesse cenário?

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Copom unânime desfaz margem para ruídos e dá fôlego à bolsa — pelo menos em um primeiro momento

20 de junho de 2024 - 7:53

Parece contraditório, mas Ibovespa busca recuperação depois de o Copom ter decidido por unanimidade pela interrupção do ciclo de corte de juros

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: A Nvidia é fruto de hábitos ultrapassados

19 de junho de 2024 - 20:01

Tudo é muito impressionante na história de Nvidia, mas o mais impressionante é o nome por trás da gigante dos chips

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Expectativa com decisão de juros do Copom dá o tom do dia na bolsa, mas feriado nos EUA drena liquidez do mercado

19 de junho de 2024 - 8:05

Analistas esperam manutenção da taxa Selic a 10,50% ao ano, mas decisão de juros será anunciada somente depois do fechamento da bolsa

EXILE ON WALL STREET

Felipe Miranda: A banalidade do bem, a zona de desinteresse e o elogio do vira-lata

18 de junho de 2024 - 20:15

Três coisas que precisam ser ditas sobre a política monetária de Lula antes do resultado da reunião do Copom.

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa busca recuperação com corte dos gastos em pauta e acordo entre Petrobras (PETR4) e Receita

18 de junho de 2024 - 7:54

Ibovespa começa mais um pregão vindo do nível mais baixo de fechamento no ano; indicadores norte-americanos também estão no radar

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

O paradoxo do conservadorismo necessário: para que os juros caiam depois, é preciso mantê-los elevados agora

18 de junho de 2024 - 6:33

Manter os juros altos agora não apenas ajudaria a reancorar as expectativas de inflação, mas também permitiria uma política monetária mais flexível no futuro

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa começa semana de Copom perto das mínimas do ano e com bolsas internacionais sem direção clara

17 de junho de 2024 - 7:41

Investidores estão na expectativa quanto à divulgação de propostas do governo para revisar os gastos públicos na proposta de orçamento para 2025

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar