🔴 RENDA MÉDIA DE ATÉ R$238,02 POR DIA COM APENAS 4 CLIQUES – SAIBA COMO

Estadão Conteúdo
TE CONSIDERO, VIU?

Altas doses de dor e sofrimento: o desejo do CEO da Nvidia para estudantes universitários

Comentário de Jensen Huang, cofundador e CEO da Nvidia, foi feito durante palestra a estudantes da Universidade Stanford

Nvidia nvdc34 inteligência artificial
Nvidia - Imagem: Reprodução

"Amplas doses de dor e sofrimento." Este é o desejo sincero de Jensen Huang, cofundador e CEO da Nvidia, a alunos da Universidade Stanford, na Califórnia.

Os comentários de Huang foram feitos durante uma palestra na instituição.

Segundo o empresário americano, nascido em Taiwan e que passou parte da infância na Tailândia, uma das vantagens de sua trajetória foi ter "expectativas muito baixas".

Ao contrário dele, a maioria dos alunos de Stanford, tradicional universidade próxima de São Francisco e grande formadora de trabalhadores do Vale do Silício, possui "expectativas muito altas", por estar em uma das principais instituições de ensino do mundo e ter dinheiro para pagar pelos estudos.

"Pessoas com expectativas muito altas têm muito pouca resiliência. E, infelizmente, resiliência importa para o sucesso", afirmou, durante o seminário realizado em 8 de março. "Espero que o sofrimento aconteça com vocês."

"Até hoje, eu uso a frase: dor e sofrimento dentro da nossa empresa com grande alegria", disse.

"Porque você quer refinar o caráter da sua empresa. Você quer grandeza deles (seus funcionários). E grandeza não é inteligência. Grandeza vem do caráter", disse.

O empresário completou, então, o raciocínio dizendo que a grandeza "é formada por pessoas que sofreram".

"Para todos vocês, alunos de Stanford, eu desejo amplas doses de dor e sofrimento", finalizou.

A trajetória da Nvidia

A fabricante de chips Nvidia tem sido uma das maiores vencedoras do boom da IA.

Ela se tornou, no início de março, uma empresa com mais de US$ 2 trilhões de valor de mercado.

Com isso, a Nvidia ultrapassou a Alphabet, dona do Google, tornando-se a terceira maior empresa em valor de mercado dos Estados Unidos, atrás apenas de Microsoft e Apple.

A avaliação da empresa, naquele momento, foi de US$ 1,8 trilhão.

Huang fundou a Nvidia em 1993

Huang foi um dos fundadores da Nvidia em 1993 e atua desde então como presidente, diretor executivo e membro do conselho de administração.

Ele possui diploma em engenharia elétrica da Universidade Estadual de Oregon e fez mestrado em engenharia elétrica exatamente na Universidade Stanford.

Para qualquer inteligência artificial funcionar, é necessária uma quantidade enorme de dados. Estes, por sua vez, exigem uma infraestrutura de computadores de ponta para processar informações.

A Nvidia passou a desenvolver em 1999 chips de processamento de vídeo (ou GPUs) para computadores e videogames.

Leia também

Para que servem os GPUs

Os GPUs, criados para acelerar o processamento gráfico de forma paralela às CPUs (unidades de processamento central, que executam tarefas sequencialmente e com mais consumo de energia), evoluíram para abastecer as máquinas por onde rodam as redes neurais que turbinam a IA.

Atualmente, a Nvidia vende a GPU H100, que além de prometer uma experiência visual excepcional para jogadores, foi otimizada para lidar com volumes massivos de dados, o que a transformou em uma opção mais eficiente para treinar modelos de IA.

Cada uma delas custa a partir de US$ 20 mil e empresas precisam de milhares de unidades.

No começo deste ano, Mark Zuckerberg anunciou a compra de 350 mil GPUs H100 para desenvolver os modelos de IA da Meta.

A H100 é quatro vezes mais rápida que sua antecessora, A100, no treinamento de grandes modelos de linguagem (LLMs) e na resposta a comandos de usuários.

Huang foi o responsável por mudar o foco de chips para games para chips voltados para a IA.

Por conta desse pioneirismo, o hardware fornecido pela companhia tornou-se o padrão do mercado, e diversos pesquisadores, startups e gigantes da tecnologia criam inovações com os semicondutores de IA da firma.

Como resultado, a Nvidia tornou-se a líder incontestável no setor de semicondutores para inteligência artificial.

Segundo dados da consultoria especializada Omdia, a marca é responsável por 70% da participação de mercado de chips para IA.

Compartilhe

SOB NOVA DIREÇÃO

Em vitória para a Capitânia, cotistas aprovam troca na gestão e novo nome para o QAGR11, fundo agro com mais de 20 mil cotistas

28 de maio de 2024 - 13:02

A troca de gestão concluída hoje foi alvo de protestos por parte da antiga gestora do fundo, a Quasar Asset, que acusou a Capitânia de adotar uma “estratégia predatória”

DESENROLANDO LEMANN

Como a Americanas (AMER3) gastou ‘apenas’ R$ 2 bilhões para zerar dívida mais de quatro vezes maior

28 de maio de 2024 - 9:42

Leilão reverso da Americanas (AMER3) faz parte do plano de recuperação judicial; operação levou à quitação de R$ 8,6 bilhões em dívidas

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa sobe com Petrobras (PETR4) e prévia da inflação abaixo do esperado; Nasdaq renova máxima intraday

28 de maio de 2024 - 7:17

RESUMO DO DIA: Com a retomada das negociações em Nova York e no Reino Unido, o Ibovespa opera com mais liquidez com a agenda agitada. O IPCA-15, considerado uma prévia da inflação, registrou avanço menor do que o esperado para maio. O mercado também reage a primeira entrevista coletiva de Magda Chambriard como CEO da […]

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Sem NY, Ibovespa rompe o ciclo de quedas e sobe com Petrobras (PETR4); dólar fecha a R$ 5,17

27 de maio de 2024 - 17:25

RESUMO DO DIA: A semana mais curta se iniciou com a liquidez reduzida nos mercados. As bolsas de Londres e dos Estados Unidos não operaram por feriados locais. A bolsa brasileira seguiu então a tendência das commodities e conseguiu romper o ciclo de quedas. Após seis baixas consecutivas, o Ibovespa terminou o dia com alta […]

DESTAQUES DA BOLSA

Magazine Luiza (MGLU3) conclui grupamento e ações caem na B3

27 de maio de 2024 - 12:01

A varejista anunciou o grupamento de ações na proporção de 10 para 1, em março; os papéis deixaram de ser negociados próximos a R$ 1

ANOTE NO CALENDÁRIO

Agenda econômica: Inflação no Brasil e nos EUA são destaques dos próximos dias, mas feriado local drena liquidez da semana

26 de maio de 2024 - 17:03

Além disso, o mercado financeiro permanecerá de olho nas estatísticas fiscais brasileiras e na taxa de desemprego

XERIFE NA ÁREA

Na dúvida, Cade busca esclarecimentos sobre parceria entre Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4)

26 de maio de 2024 - 10:18

Necessidade ou dispensa de notificação ao Cade desperta dúvidas desde anúncio de acordo de compartilhamento de malhas da Azul e da Gol

ASSEMBLEIA CONJUNTA CONVOCADA

Trabalhadores da Eletrobras (ELET3) ameaçam iniciar greve por tempo indeterminado

25 de maio de 2024 - 17:04

Assembleia conjunta de sindicatos foi chamada para a segunda-feira; se paralisação for aprovada, greve na Eletrobras deve ter início em 3 de junho

UM PARA DEZ

Como vão ficar os BDRs da Nvidia (NVDC34) com o desdobramento das ações no Nasdaq

25 de maio de 2024 - 15:03

Com resultado melhor que o esperado e reajuste de dividendos, Nvidia promoveu um desdobramento de ações que também vai valer para seus BDRs

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa cai 3% na semana com peso da política monetária dos EUA e Petrobras (PETR4); dólar sobe a R$ 5,16

24 de maio de 2024 - 17:38

RESUMO DO DIA: A semana que parecia não ter fim acabou, mas sem alívio nos mercados: o Ibovespa completou seis pregões consecutivos de queda. O principal índice terminou o dia com baixa de 0,34%, aos 124.305 pontos. Na semana, o recuo acumulado foi de 3%. Já o dólar à vista avançou 0,27% ante o real […]

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar