🔴 SÉRIE EMPIRICUS IN$IGTS: +100 RELATÓRIOS CORTESIA – LIBERE GRATUITAMENTE

Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
QUE HORAS ELE VOLTA?

Fim da seca de IPOs na B3 é questão de tempo, diz Anbima. Mas o que adiou a retomada das aberturas de capital?

Queda da Selic favorece a volta dos IPOs na bolsa, mas juro nos EUA retardou movimento, de acordo com a Anbima, associação das instituições do mercado de capitais

Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
20 de fevereiro de 2024
17:25 - atualizado às 17:13
Fundadores do Nubank na cerimônia de início das negociações na B3
Nubank foi a última empresa a listar papéis na bolsa brasileira, em dezembro de 2021 - Imagem: Divulgação

Após uma estiagem que já dura mais de dois anos, a bolsa brasileira segue à espera da retomada das ofertas públicas iniciais de ações (IPOs). A ampla expectativa para o fim da seca neste ano ainda não se concretizou, mas trata-se apenas de uma questão de tempo.

Pelo menos essa foi a mensagem que os executivos da Anbima passaram no tradicional encontro anual com a imprensa. "A direção não mudou, o que mudou foi o timing", disse Guilherme Maranhão, representante da associação que representa as instituições que atuam no mercado de capitais.

Ele não arrisca dar um prazo, mas aponta que o cenário de queda da taxa básica de juros (Selic) favorece a volta dos IPOs. Esse fator deve atrair mais recursos para a renda variável e, por consequência, para as ações das candidatas a atrair sócios na bolsa.

Vale lembrar que não houve nenhum IPO na B3 desde dezembro de 2021, quando o Nubank fez uma dupla listagem na B3 e em Nova York.

Desse modo, a última emissão "pura" na bolsa brasileira foi a da Vittia, em setembro de 2021. Sob qualquer métrica, contudo, trata-se de um dos maiores períodos de seca da história do mercado de capitais brasileiro.

Até o momento, a única empresa a formalizar a intenção de abrir o capital na B3 em 2024 foi a Oceânica Engenharia, que presta serviços para a indústria de óleo e gás. Mas aparentemente o IPO subiu no telhado, de acordo com informações da imprensa.

Anbima vê o Fed com fator crítico para a seca de IPOs

Ainda que a Anbima siga otimista para os IPOs em 2024, houve uma mudança importante desde o fim do ano passado e que ajudou a adiar a seca: a expectativa para a taxa de juros nos Estados Unidos.

"O Fed foi um fator crítico", disse Fernando Honorato, em referência ao Federal Reserve, o Banco Central norte-americano, e à revisão na expectativa para o início dos cortes de juros na maior economia do planeta.

Seja como for, a associação mantém a expectativa de um ano melhor para as ofertas de ações na comparação com 2023 e 2022.

Enquanto os IPOs e ofertas subsequentes não deslancham, o foco deve se manter na renda fixa. A projeção da Anbima é que as captações via instrumentos como debêntures alcancem patamares semelhantes aos de 2022, quando bateram recorde.

Mudanças nos títulos isentos

O mercado também deve levar um tempo para se adaptar às mudanças que o governo implementou na tributação dos investimentos. A mais recente saiu ontem, com a proibição da criação de fundos de previdência exclusivos.

A nova mudança acontece depois de o governo alterar a tributação dos fundos voltados aos super-ricos e restringir a emissão de títulos isentos de Imposto de Renda.

Para Carlos André, presidente da Anbima, o mercado deve levar até dois meses para medir os impactos das medidas.

Mas de modo geral ele entende que as mudanças vão na direção correta ao reduzir a assimetria que havia entre diferentes as classes de investimentos.

LEIA TAMBÉM:

Compartilhe

AÇÕES NO SHAPE

Smart Fit (SMFT3) vai virar “monstro”? Banco recomenda compra das ações e vê espaço para rede de academias dobrar de tamanho

17 de abril de 2024 - 15:25

Os analistas do JP Morgan calcularam um preço-alvo de R$ 31 para os papéis da Smart Fit (SMFT3), o que representa um potencial de alta da ordem de 30%

DESTAQUES DA BOLSA

Ozempic que se cuide! Empresa de biotecnologia faz parceria para distribuir caneta do emagrecimento no Brasil e ações disparam quase 40% 

17 de abril de 2024 - 14:03

Com o anúncio, a Biomm conquistou R$ 1,2 bilhão em valor de mercado na B3; a comercialização do similar do Ozempic deve ainda passar pelo crivo da Anvisa

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Vale (VALE3) não é suficiente e Ibovespa fecha em queda na esteira de Nova York; dólar cai a R$ 5,24

17 de abril de 2024 - 6:49

RESUMO DO DIA: O Ibovespa até tentou interromper o ciclo de quedas com o forte avanço do minério de ferro e a prévia do PIB, mas o tom negativo de Nova York falou mais alto e arrastou o principal índice da bolsa brasileira. Com isso, o Ibovespa terminou o pregão em baixa de 0,17%, aos […]

REPORTAGEM ESPECIAL

O fracasso das empresas “sem dono” na B3. Por que o modelo das corporations vai mal na bolsa brasileira

16 de abril de 2024 - 15:54

São vários exemplos e de inúmeros setores de companhias sem uma estrutura de controle que passaram por graves problemas ou simplesmente fracassaram

MAIS 11 ATIVOS PARA A CONTA

Fundo imobiliário BTLG11 fecha acordo de quase R$ 2 bilhões por portfólio de imóveis em SP

16 de abril de 2024 - 11:36

O FII deve adquirir 11 ativos, com cerca de 550 mil metros quadrados prontos e performados

SÉRIE A DA B3

Auren (AURE3) fica de fora da segunda prévia do Ibovespa, que agora conta com a entrada de apenas uma ação

16 de abril de 2024 - 10:32

Se a previsão se confirmar, a carteira do Ibovespa contará com 87 ações de 84 empresas a partir de maio

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa cai pela quinta vez seguida pressionado por juros nos EUA e questão fiscal; dólar fecha no maior nível em 13 meses, a R$ 5,26

16 de abril de 2024 - 6:33

RESUMO DO DIA: A perspectiva de juros elevados por mais tempo nos Estados Unidos ganhou força mais uma vez e, combinada com a preocupação com o cenário fiscal doméstico, gerou mais lenha para a bolsa brasileira aumentar as cinzas. Pela quinta vez consecutiva, o Ibovespa terminou o dia no vermelho, com queda de 0,75%, aos […]

MERCADOS HOJE

Bolsas hoje: Ibovespa recua com pressão de bancos e Wall Street no vermelho; dólar sobe a R$ 5,18

15 de abril de 2024 - 6:43

RESUMO DO DIA: O Ibovespa terminou a sessão desta segunda-feira (15) no vermelho, pressionado pelo desempenho dos bancos, que recuaram em meio à crescente aversão ao risco no mercado hoje. O principal índice de ações da B3 fechou o pregão em baixa de 0,49%, aos 125.333 pontos. Já o dólar à vista avançou 1,25%, aos […]

ANOTE NO CALENDÁRIO

Agenda econômica: Prévia do PIB no Brasil e balanços nos EUA são destaque junto com Livro Bege nos próximos dias

15 de abril de 2024 - 6:20

As reuniões do FMI ao longo da semana permanecem no radar, com discussões focadas na estabilidade financeira global e nas estratégias para enfrentar as incertezas econômicas

TOUROS E URSOS

O enigma da Petrobras (PETR4): entre dividendos e “risco Lula”, vale a pena ter ações da estatal?

14 de abril de 2024 - 7:45

Ruído da intervenção do governo impede a Petrobras de negociar no patamar de companhias como Chevron e Exxon, segundo analista

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar