🔴 ALGORITMO MOSTRA COMO BUSCAR ATÉ R$ 3 MIL POR DIA – CONHEÇA

Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
FIIs DO MÊS

Mais um casal na quermesse da bolsa: dois fundos imobiliários empatam como favoritos das corretoras em junho

A quadrilha dos FIIs é liderada por uma dupla tão boa no arrasta-pé dos imóveis que tem conquistado a preferência dos analistas já há algum tempo.

Larissa Vitória
Larissa Vitória
10 de junho de 2024
6:03 - atualizado às 16:08
Selo Melhores Fundos Imobiliários 2 | Fundo Imobiliário Bresco Logística BRCO11 FIIs Magazine Luiza Fundo Imobiliário
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A quermesse da B3 começou com uma quadrilha de empresas lideradas por Vale (VALE3) e Itaú (ITUB4), os papéis favoritos de junho. Agora, é a vez dos fundos imobiliários se apresentarem para a festa junina da bolsa de valores.

E eles têm tudo para fazer uma dança ainda mais animada do que a das ações: ao contrário do Ibovespa, que registra um tombo de 8% no ano, o IFIX — índice que reúne os principais FIIs brasileiros — acumula alta de pouco mais de 1% no mesmo período.

A apresentação junina dos FIIs é liderada por uma dupla tão boa no arrasta-pé dos imóveis que tem conquistado a preferência dos analistas já há algum tempo.

O primeiro deles é o BTG Pactual Logística (BTLG11), favorito das corretoras há dez meses consecutivos. O FII de logística aparece mais um mês como destaque com quatro recomendações em junho.

Completa o par o TRX Real Estate (TRXF11), fundo focado em renda urbana. Segundo colocado em maio, o TRXF11 volta à primeira posição após também garantir a presença no ‘top 3’ de quatro corretoras.

Confira abaixo quais fundos completam a lista dos favoritos de junho:

Entendendo o FII do Mês: Todos os meses, o Seu Dinheiro consulta as principais corretoras do país para descobrir quais são suas apostas para o período. Dentro das carteiras recomendadas, normalmente com até 10 fundos imobiliários, os analistas indicam os seus três prediletos. Com o ranking nas mãos, selecionamos os que contaram com pelo menos duas indicações.

BTG Pactual Logística (BTLG11)

Se você comprou um chapéu de palha ou camisa xadrez pela internet para se vestir à caráter nas festas juninas, então o BTG Pactual Logística (BTLG11) pode ter feito parte da cadeia que possibilitou que o traje típico chegasse até a sua casa.

Isso porque, apesar de fazer parte do setor imobiliário, o BTLG11 é focado em logística. E é um dos maiores representantes desse segmento — o portfólio do FII é composto por 22 imóveis e mais de 858 mil metros quadrados em Área Bruta Locável (ABL).

Vale destacar que boa parte dessa ABL está concentrada em São Paulo, o que, na visão dos analistas, é uma vantagem competitiva da carteira. “Os galpões logísticos localizados nesta região são mais demandados, geram melhores retornos ao fundo e consequentemente aos cotistas”, afirma o Pagbank.

Outro ponto forte é a equipe que faz a condução do portfólio e movimentou o noticiário com anúncios de vendas e aquisições nos últimos meses — incluindo um acordo para a compra de um “pacote” de 11 ativos por R$ 1,75 bilhão.

“A gestão segue com a estratégia de reciclagem e distribuição de ganho de capital, o que contribui para a manutenção do yield [indicador de pagamento de proventos] anualizado em patamar atrativo de 9,1%”, aponta Caio Araújo, analista da Empiricus.

TRX Real Estate (TRXF11)

Uma quermesse não é boa de verdade se não tiver uma ampla variedade de comes e bebes. E, para ajudar a economizar na hora de montar a mesa do milho assado, pamonha, broa, paçoca, arroz doce e muito mais pratos típicos da temporada junina, uma opção são os “atacarejos” alimentícios.

Com preços mais competitivos do que supermercados e os tradicionais mercadinhos de bairros, as marcas que oferecem os descontos de atacadistas com uma proposta para o varejo se popularizaram nos últimos anos e são uma das apostas do segundo FII favorito do mês.

Quase 60% dos inquilinos do TRX Real Estate (TRXF11) fazem parte do setor. Os atacadistas também respondem pela maior parte dos ganhos com locação do portfólio — apenas o Assaí é responsável por 44,9% da receita, enquanto Grupo Mateus e Pão de Açúcar completam o trio de maiores fontes de recursos do FII.

“Gostamos do trabalho da gestão, em especial com transações imobiliárias com varejistas de bandeiras fortes como o grupo Leroy Merlin, Mateus e Carrefour, construindo e locando imóveis e lojas com contratos bem ‘amarrados’ e de longo prazo”, diz o Santander, que estima um yield “atrativo” de 10,5% para o TRXF11 nos próximos 12 meses.

A Genial também considera o FII como uma recomendação positiva para quem busca renda e dividendos.

A corretora destaca ainda que nem só de varejo vive o portfólio do TRX Real Estate: “com gestão ativa, estratégia clara e portfólio diversificado, o fundo mostra potencial de crescimento e retorno atraente, especialmente após negociações recentes visando lucro e redução de alavancagem.”

Compartilhe

FECHAMENTO DO MERCADO

Dólar supera os R$ 5,46: por que a moeda norte-americana voltou a subir e fechou no maior nível em quase dois anos

20 de junho de 2024 - 17:34

O dólar abriu o dia em queda, mas o alívio pós-decisão do Copom durou pouco e a moeda emendou o quinta pregão consecutivo de ganhos

GESTORAS

Studio Investimentos muda gestão de fundo após queda acumulada de mais de 30% no ano

20 de junho de 2024 - 16:57

A saída aconteceu pela necessidade de “alterar e reforçar a gestão” da família de fundos da casa, de acordo com a Studio, que tem R$1 bilhão sob gestão

(MAIS) DINHEIRO NO BOLSO

Os dividendos deste fundo imobiliário com mais de 40 mil cotistas devem subir nos próximos meses, segundo os cálculos da gestão

20 de junho de 2024 - 15:07

O SNCI11 já pagará proventos cerca de 5% maiores neste mês e, com um novo cenário macroeconômico traçado pelo mercado, a gestão espera dividendos ainda maiores

LADEIRA ABAIXO

Ações da rede social de Trump chegam a cair 15% hoje — o que explica a queda livre dos papéis?

20 de junho de 2024 - 14:11

A empresa que controla Truth Social perdeu US$ 2 bilhões em valor desde o início do mês; entenda o que está acontecendo com os papéis

AS QUERIDINHAS DA BAIXA RENDA

Cinco fatores por trás do otimismo com as ações de Direcional (DIRR3) e Cury (CURY3) — e qual delas é a favorita do Itaú BBA

20 de junho de 2024 - 13:21

O banco de investimentos revisou as suas estimativas para ambas as companhias e reforçou a visão positiva para o setor

MERCADOS HOJE

Lula não gostou, mas o mercado sim: após decisão de manter Selic em 10,5% e comunicado duro, Ibovespa salta 1% hoje

20 de junho de 2024 - 12:15

No mesmo horário, o dólar à vista era negociado próximo da estabilidade, ainda na faixa de R$ 5,40, reagindo ao cenário internacional

REPORTAGEM ESPECIAL

Taesa (TAEE11) e ISA Cteep (TRPL4): por que parte do mercado aposta na queda das ações preferidas dos “caçadores de dividendos”

20 de junho de 2024 - 6:18

Duas das principais transmissoras de energia do País, Taesa e ISA Cteep vêm recebendo desde o ano passado recomendações de “venda” de analistas

MOEDA EM ALTA

Não para de subir: dólar salta para R$ 5,47 hoje — e desta vez, o responsável não é (só) Lula

19 de junho de 2024 - 11:46

O feriado nos Estados Unidos reduziu a liquidez do dia, contribuindo com a volatilidade, além da aversão ao risco em relação à expectativas com o fim da reunião do Copom

DESTAQUES DA BOLSA

Ações de desenvolvedora imobiliária disparam mais de 5% na bolsa após contratação de banco para venda de ativos, incluindo hotéis em SP

18 de junho de 2024 - 11:22

A HBR Realty contratou o Bradesco BBI para ajudar na execução da estratégia de reciclagem de ativos da companhia

DE OLHO NAS REDES

O Brasil não tem condições para uma Selic de um dígito em 2024: por que este estrategista acredita ser impossível juros abaixo de 10% em 2024

17 de junho de 2024 - 16:41

Com a próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) se aproximando, o mercado parece está cada vez menos esperançoso sobre os cortes na taxa básica de juros, a Selic. Para Rogério Benevente, sócio da GWM Investments e convidado desta semana do podcast Touros e Ursos, “é impossível pensar numa Selic abaixo de 10% em […]

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar