🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Papai, mamãe, titia

Tesouro Educa+ passa a ter opção de ‘vaquinha’, para toda a família investir para pagar a faculdade do seu filho

Tesouro Direto lança também a possibilidade de abertura rápida de conta em nome do jovem dentro do programa

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
19 de outubro de 2023
15:03 - atualizado às 16:08
Imagem mostra diploma e moedas
Negócios de educação - Imagem: Shutterstock

O Tesouro Direto e a B3 lançaram, nesta quinta-feira (19), mais duas novidades envolvendo o novo título público Tesouro Educa+, voltado para a formação de poupança para o ensino superior de crianças e adolescentes.

A primeira delas é o Tesouro Direto Coletivo, funcionalidade que permite a várias pessoas – parentes ou mesmo amigos – investirem simultaneamente em Tesouro Educa+ em nome de um mesmo jovem. A novidade já havia sido antecipada na época do lançamento do novo título.

Trata-se, portanto, de uma forma de financiamento coletivo – ou, em bom português, de uma "vaquinha". Por meio da nova funcionalidade, não apenas os pais, mas também avós, tios ou padrinhos, por exemplo, poderão contribuir para, no futuro, pagar a faculdade das crianças e adolescentes da família.

"O investimento coletivo é muito importante, pois vai levar essa discussão da poupança para a educação para dentro da família", disse, em coletiva realizada na tarde de hoje, o Secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron.

Como funciona o Tesouro Direto Coletivo

Com o Tesouro Direto Coletivo, um dos pais ou responsáveis poderá criar, a partir de um objetivo definido, uma campanha colaborativa no site do Tesouro Direto. A campanha deve ter um nome e uma descrição, que ficarão visíveis para os apoiadores.

Como em qualquer outra compra de Tesouro Educa+, o criador da campanha deverá simular quanto deseja receber de renda, por um período de cinco anos, para pagar a faculdade do jovem beneficiário no futuro. Também deve escolher a idade em que esse jovem começará os estudos.

O simulador indicará o título com a data de conversão mais adequada para o objetivo (data em que deverão começar os pagamentos), e será neste título que serão feitos todos os aportes, tanto os de quem criou a campanha quanto os dos demais colaboradores.

Após essa etapa, será gerado um link, que poderá ser distribuído a todos os adultos que puderem contribuir para a poupança. Eles poderão escolher um valor de contribuição, a ser pago via Pix, para engordar a poupança educacional do menor cadastrado. Não é preciso ter cadastro no Tesouro Direto para contribuir, basta se identificar com nome, CPF e e-mail e fazer a transferência.

Os pais e responsáveis também poderão acompanhar o andamento da campanha na plataforma do Tesouro Direto Coletivo, conferindo quanto já receberam e quanto falta para alcançar o objetivo estabelecido.

O passo a passo para criar e acompanhar uma campanha de financiamento coletivo com o Tesouro Educa+ está disponível detalhadamente nesta postagem no blog do Tesouro Direto.

Leia também

"A cultura de investimentos no Brasil mudou junto com a nova geração. E é para esses jovens que a Secretaria do Tesouro Nacional, B3 e os participantes do mercado estão olhando com carinho. O Tesouro Coletivo traz mais uma alternativa para que não só o pai ou mãe participem da inclusão da criança no mundo do planejamento financeiro e investimentos, mas o tio, madrinha, familiares e amigos. Datas comemorativas como o aniversário, Dia das Crianças, Natal ou mesmo a mesada da vovó podem vir junto com um ingresso para a educação financeira de milhares de jovens no Brasil e mudar a vida deles no futuro ", disse, em nota, o diretor de Relacionamento com Clientes e Pessoas Físicas da B3, Felipe Paiva.

“Pela primeira vez na história do programa os investidores poderão criar campanhas colaborativas que utilizarão o Tesouro Educa+ para viabilizar a concretização do sonho do curso superior ou especializações que ampliam as oportunidades no futuro de cada criança”, disse Ceron, também em nota.

  • Renda fixa não acabou: existem títulos exclusivos que são os prediletos dos milionários e estão pagando mais de 2% ao mês; saiba como investir

Cadastro rápido de menor de idade

Outra novidade lançada pelo Tesouro Nacional e pela B3 nesta quinta-feira é a possibilidade de abrir conta em nome do menor de idade dentro do Tesouro Direto por meio do cadastro rápido, o chamado Cad&Pag.

Esta é uma funcionalidade que facilita o registro de novos investidores no programa, integrando os sistemas do Tesouro Direto, do Gov.br e das instituições financeiras em um processo unificado, simplificando o cadastro dos dados pessoais e a criação de conta com o banco ou corretora.

O passo a passo para fazer cadastro no Cad&Pag também está disponível no Blog do Tesouro Direto.

Tesouro Educa+ também sorteia prêmios em dinheiro entre os investidores

No último dia 11, foi realizado o primeiro sorteio de prêmios em dinheiro entre investidores do Tesouro Educa+ que fizeram pelo menos um aporte até o dia 6 de outubro.

Na ocasião, foram distribuídos um prêmio de R$ 50 mil, três prêmios de R$ 15 mil e dez prêmios de R$ 5 mil, totalizando R$ 145 mil.

Até o fim do ano serão realizados mais dois sorteios. O segundo, com os mesmos valores de premiação, será realizado em 18 de novembro e contemplará investidores que fizerem aportes de 20 de setembro a 13 de novembro.

Já o terceiro será realizado em 23 de dezembro, e poderão concorrer os investidores que fizerem aportes entre 20 de setembro e 19 de dezembro. Serão sorteados dois prêmios de R$ 50 mil, quatro prêmios de R$ 15 mil e dez prêmios de R$ 5 mil, totalizando R$ 210 mil.

A ideia por trás dos sorteios é incentivar os investidores a fazerem aportes no Tesouro Educa+ todos os meses, pois cada aplicação mensal dá direito a um cupom para concorrer.

Além disso, os prêmios recebidos são pagos em nome do jovem beneficiário do título. A intenção é que esses recursos sejam usados para engordar a poupança educacional do menor.

Saiba mais sobre os sorteios do Tesouro Educa+ aqui.

Compartilhe

O país da renda fixa

Mesmo com queda de juros, renda fixa cresceu mais que renda variável em 2023; LCI, LCA, CRI e CRA foram os destaques

15 de fevereiro de 2024 - 14:09

Títulos isentos viram crescimentos acima de 50% em número de investidores e volumes; número de CPFs na bolsa se manteve em 5 milhões

OUTRAS OPÇÕES

BTG recomenda 10 títulos de renda fixa isentos de IR para fevereiro – e nenhum deles tem carência como as LCIs e LCAs

9 de fevereiro de 2024 - 13:02

Títulos como debêntures incentivadas, CRIs e CRAs não têm carência, mas têm mais risco que LCIs e LCAs

RENDA FIXA ISENTA

LCI e LCA representam 15% da captação do Itaú. Como a nova regra que restringe os títulos isentos de IR afeta o banco?

6 de fevereiro de 2024 - 12:46

Apesar do volume alto, medida afeta apenas 30% do saldo de LCIs e LCAs que o Itaú emitiu. Ou seja, o impacto recai sobre 4,5% da captação total do banco, diz CEO

Onde os brasileiros investem

Títulos isentos, como LCI e LCA, chegam a quase 20% do volume investido por pessoas físicas, mas cenário pode mudar com novas regras; entenda

5 de fevereiro de 2024 - 14:47

Renda fixa isenta de imposto de renda tem ganhado popularidade nos últimos anos, mas oferta desses títulos pode reduzir; veja onde investiram os brasileiros em 2023

A CONTA DO 'FIM DA FARRA'

Mudança nas regras de LCI, LCA, CRI e CRA deve pesar mais para pessoas físicas; fundos imobiliários podem ‘passar ilesos’

2 de fevereiro de 2024 - 19:19

As novas regras miram em impedir casos emblemáticos como o do Burger King, que utilizou um CRA para financiar a compra de carne dos hambúrgueres, mas devem acabar acertando também empresas que de fato fazem parte da cadeia agro ou imobiliária

ACABOU A FARRA?

O que muda nas emissões de LCI, LCA, CRI e CRA com a medida do governo que restringe as emissões de títulos isentos de IR

2 de fevereiro de 2024 - 9:09

Governo manteve a isenção de imposto de renda, mas restringiu as maneiras como os bancos e as empresas podem emitir papéis como LCI

Retorno menor

Quanto rendem R$ 10 mil na poupança, no Tesouro Direto e em CDB com a Selic em 11,25%?

31 de janeiro de 2024 - 19:00

Banco Central cortou a taxa básica em mais 0,50 ponto percentual nesta quarta; veja como a rentabilidade dos investimentos conservadores deve reagir

Lula sancionou

Renda fixa isenta ameaçada? Conheça as novas debêntures de infraestrutura e saiba se elas podem ‘matar’ as debêntures incentivadas

25 de janeiro de 2024 - 6:07

Governo acaba de aprovar novo título de dívida com vantagens tributárias só para o emissor; será que ele poderá substituir as debêntures isentas de IR?

Carteira recomendada

O que comprar na renda fixa em janeiro: título do Tesouro Direto é destaque da carteira da Genial, que inclui também LCA de bancão

12 de janeiro de 2024 - 12:11

Analistas apostam nos títulos indexados à inflação com vencimentos de até cinco anos, não apenas para o mês, como para o ano; veja todas as recomendações

Tesouro Direto do mês

O que comprar no Tesouro Direto em janeiro: chegou a hora dos títulos atrelados à inflação? Veja as indicações

8 de janeiro de 2024 - 16:41

Prefixados começam a perder espaço nas indicações de bancos e corretoras, após forte valorização de 2023; veja os títulos recomendados para o primeiro mês do ano

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies