🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
LUZ NO FIM DO TÚNEL

Setor imobiliário chinês vai se reerguer (um dia); entenda por que o Goldman Sachs acredita que essa recuperação ainda vai demorar

Desde 2021, a China enfrenta crise no setor imobiliário, que representa cerca de um quarto do PIB do país; ritmo lento de recuperação vem afetando as ações chinesas

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
1 de dezembro de 2023
14:00 - atualizado às 13:06
china dragão
Imagem: Shutterstock

A China vem enfrentando rachaduras profundas, que desafiam a resiliência da economia do gigante asiático. Desde 2021, o país atravessa uma crise no setor imobiliário, quando a Evergrande colapsou.

O segmento, que representa aproximadamente um quarto do PIB do país, vem pesando nas bolsas chinesas, que teve o seu principal índice de ações no patamar mais baixo em mais de um mês nesta sexta-feira (01).

A luz no fim do túnel, porém, ainda está distante. Segundo Kenneth Ho, estrategista de crédito para a Ásia no banco norte-americano Goldman Sachs, as consequências de um dos maiores colapsos já registrados vão prolongar o caminho de recuperação da China por vários anos.

E os impactos não vão ser sentidos apenas na bolsa. “Quando este grande segmento da economia se contrai – e vai levar anos para voltar ao normal – o seu crescimento potencial sofre um grande golpe”, afirma Hui Shan, economista-chefe para a China, da Goldman Sachs Research.

O economista estima o crescimento potencial da China em cerca de 4% neste ano. Além disso, a recessão imobiliária também deve atingir os mercados de commodities.

“Antes da recessão, a procura chinesa de cobre, apenas no setor imobiliário, era ainda maior do que toda a procura de cobre dos EUA”, observa Hui Shan.

VEJA TAMBÉM: TOUROS E URSOS - MAGAZINE LUIZA (MGLU3) E CASAS BAHIA (BHIA3): O QUE REALMENTE DEU ERRADO?

Nem com colete salva-vidas: por que as medidas do governo não bastam para tirar o país da crise do setor imobiliário

Com os preços, as vendas e os investimentos em queda, o governo de Xi Jinping adotou uma série de medidas fiscais e monetárias para estimular o crescimento e elevar as vendas de moradias no país.

Os estímulos implementados pelo governo chinês reduzem valores e restrições para a compra e venda de imóveis. Embora as medidas ajudem a controlar muitos aspectos do mercado primário, o crescimento do papel do mercado secundário é um dos motivos que torna a crise diferente das anteriores.

As medidas tomadas por Xi Jinping influenciam desde a definição dos preços dos terrenos até o controle sobre as atividades das incorporadoras. Porém, o governo tem muito menos domínio sobre o que acontece no mercado secundário, explica Yi Wang, da Goldman Sachs Research, que lidera a equipa imobiliária da China.

“Como tudo isso é comportamento do consumidor, é muito difícil para eles controlar”, diz ela. O mercado secundário é onde Wang vê uma maior deterioração, à medida que a oferta de casas aumenta e os preços caem.

Sem pânico: China não deve entrar em crise financeira

O país trabalha para controlar cerca de 8,4 bilhões de dólares em dívidas pendentes de hipotecas e promotores imobiliários. 

Ainda assim, Kenneth Ho não espera que resulte numa crise financeira como as crises imobiliárias anteriores aconteceram em outros países. 

“Os formuladores de política chineses [estão] muito concentrados em garantir que não surjam riscos sistêmicos”, afirma o estrategista.

Compartilhe

DEPOIS DO BALDE DE ÁGUA FRIA

Mistério revelado? Ata do Fed dá pistas do que pode acontecer com os juros em março

21 de fevereiro de 2024 - 17:27

Os investidores aguardavam o documento para entender o futuro da taxa referencial da maior economia do mundo e já se reposicionaram depois dos novos sinais desta quarta-feira (21)

A VISTA DE BLINKEN

Outro puxão de orelha em Lula? O que o braço direito de Biden disse para o petista em duas horas de conversa e no meio de uma crise

21 de fevereiro de 2024 - 16:11

O chefe da diplomacia norte-americana esteve no Palácio do Planalto em meio à tensão nas relações entre Brasil e Israel; saiba o que foi assunto neste encontro

FUGINDO DA MORDIDA DO LEÃO

Como Jeff Bezos “driblou” impostos para embolsar uma quantia bilionária com a venda de ações da Amazon

21 de fevereiro de 2024 - 14:30

O dono da gigante do varejo eletrônico vendeu agora mais 14 milhões de ações da empresa, levantando US$ 2,4 bilhões com a transação

SEM CÉU DE BRIGADEIRO

Vai desbancar a Airbus? A gigante “Made in China” que pode provocar turbulência na aviação global

20 de fevereiro de 2024 - 19:58

Pequim criou uma empresa de aviação para bater de frente com rivais estrangeiras — e Airbus responde a concorrência à altura

COM OS DIAS CONTADOS

A China vai tombar de vez? O empurrão dos EUA que pode colocar a segunda maior economia do mundo em xeque

19 de fevereiro de 2024 - 19:50

No passado, o governo de Xi Jinping já alertou Washington sobre o “erro histórico” de impor limites à Pequim

SÓ DOR DE CABEÇA

A nova insônia da Argentina: o dado que vai tirar o sono de Javier Milei — e não é a inflação

19 de fevereiro de 2024 - 19:09

O governo já se defendeu dos números que devem trazer mais dor de cabeça para a Casa Rosada

SOB A LUPA EUROPEIA

Mais problemas para o TikTok? Rede social das dancinhas cai na mira da União Europeia — e pode receber multa pesada

19 de fevereiro de 2024 - 18:15

A UE vai investigar se a rede social viola as regras de conteúdo online destinadas a proteger as crianças na plataforma

O PODER DE UMA PAIXÃO

O caso amoroso que pode salvar Trump de ser condenado

19 de fevereiro de 2024 - 15:15

O romance em questão não está diretamente ligado ao ex-presidente dos EUA, mas pode ajudá-lo no processo sobre a tentativa do republicano reverter a derrota nas eleições de 2020

ANO NOVO, VIDA NOVA?

Viagens e gastos de turistas durante ano-novo na China superam níveis pré-pandemia, mas algo ainda incomoda os economistas

19 de fevereiro de 2024 - 11:37

Deslocamentos internos e gastos em viagens pela China mostram recuperação enquanto governo tenta impulsionar o consumo

MARCADOS PELA OPOSIÇÃO

Todos contra Putin: os inimigos que ousaram desafiar o homem mais poderoso da Rússia e não tiveram um final feliz

16 de fevereiro de 2024 - 19:43

A lista de desafetos do presidente russo é longa. O Seu Dinheiro separou os principais nomes de oposição e conta para você o destino — às vezes trágico — de cada um deles

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies