🔴 É HOJE! COMO COMPRAR CARROS COM ATÉ 50% DE DESCONTO NA TABELA FIPE – CONHEÇA A ESTRATÉGIA

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
MISSÃO (IM)POSSÍVEL

Brasil coloca China, Rússia e EUA do mesmo lado — o que Putin, Xi e Biden falaram sobre ataques em Brasília

O presidente norte-americano se manifestou no domingo (08), mas o líder chinês e o russo só falaram hoje sobre a invasão às sedes dos três poderes

Carolina Gama
9 de janeiro de 2023
15:20 - atualizado às 14:44
Tabuleiro de xadrez; nele, há três peças diferentes, identificadas com as bandeiras dos EUA, da China e da Rússia; simboliza a tensão geopolítica e a guerra no leste europeu
Imagem: iStock

O Brasil conseguiu realizar uma missão que até o último domingo (08) era considerada praticamente impossível: colocar EUA, Rússia e China do mesmo lado da história. Os líderes dos três países condenaram os ataques ao Congresso, ao Palácio do Planalto e ao Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília.

O primeiro a se manifestar foi o presidente dos EUA, Joe Biden, que ontem mesmo se posicionou, condenando a invasão e reafirmando apoio ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Condeno o atentado à democracia e à transferência pacífica do poder no Brasil. As instituições democráticas do Brasil têm todo o nosso apoio e a vontade do povo brasileiro não deve ser prejudicada. Estou ansioso para continuar a trabalhar com Lula”, disse Biden.

Nesta segunda-feira (09) foi a vez do presidente da Rússia, Vladimir Putin, e do presidente chinês, Xi Jinping, se manifestarem também contra os ataques em Brasília. Confira o que outros líderes falaram sobre a invasão.

O que Putin disse

Putin era considerado um aliado por Jair Bolsonaro. O ex-presidente chegou a realizar uma viagem polêmica à Rússia logo após a invasão da Ucrânia e se gabava de ter fechado negócios com Moscou na área de fertilizantes.

Mais cedo, o líder russo condenou os ataques de bolsonaristas às sedes dos três poderes em Brasília.

"Condenamos da maneira mais firme as ações dos instigadores de distúrbios e apoiamos plenamente o presidente Lula da Silva", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, a repórteres.

A declaração chama atenção não só pela suposta ligação entre Bolsonaro e Putin, mas também pelo fato de a Rússia ter sido duramente criticada em nível internacional por atentar contra a democracia em diversas ocasiões — inclusive nas últimas eleições, no ano passado, que mantiveram Putin no poder. 

O que disse Xi

A China — que também não é um expoente da democracia, mas é um dos principais parceiros comerciais do Brasil — manifestou uma forte oposição aos ataques em Brasília, que foram chamados de violentos pelo Ministério das Relações Exteriores chinês.

Em coletiva de imprensa mais cedo, o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse que “a China segue de perto e se opõe de maneira firme aos violentos ataques às autoridades federais no Brasil no último domingo”.

“Apoiamos as medidas tomadas pelo governo brasileiro para acalmar a situação, restaurar a ordem social e salvaguardar a estabilidade social. Acreditamos que sob a liderança do presidente Lula, o Brasil vai manter a estabilidade nacional e a harmonia social”, afirmou.

Compartilhe

INTERNACIONAL

Presidente do Irã morre em queda de helicóptero; aiatolá já decidiu quem será o sucessor

20 de maio de 2024 - 7:53

Além de Ebrahim Raisi, seu ministro das Relações Exteriores e mais 7 pessoas morreram no incidente, ocorrido no norte do Irã

LOBBY DE BANCOS

CEO do JP Morgan levou outros presidentes de bancos para pressionar Federal Reserve por normas mais frouxas

19 de maio de 2024 - 16:47

Agora, o Fed e dois outros reguladores querem um novo plano, que reduziria o aumento obrigatório de capital — de quase 20% — para os maiores bancos dos EUA

NO ORIENTE MÉDIO

Membro do gabinete de Guerra de Israel ameaça pedir demissão caso não haja plano para conflito em Gaza

19 de maio de 2024 - 14:55

Benny Gantz reconheceu o impacto prejudicial que a guerra está tendo sobre os civis, mas insistiu que a “decisividade” é necessária

NO ORIENTE MÉDIO

Helicóptero que levava presidente e ministros do Irã faz pouso forçado; equipes tentam acessar o local

19 de maio de 2024 - 13:23

Houve registro de chuva forte e neblina com algum vento, o que poderia ter causado uma instabilidade na aeronave

SÓ UMA PROMESSA?

Vai fechar o banco central, Milei? A nova declaração do presidente da Argentina sobre o futuro do BC do país

17 de maio de 2024 - 18:45

O presidente argentino está na Espanha e deu diversas declarações polêmicas a um público que o aplaudiu calorosamente; veja o que mais ele disse

O CUSTO DA NOVA ORDEM MUNDIAL

Xi Jinping na Rússia: o presidente da China está disposto a pagar o preço pela lealdade de Putin?

16 de maio de 2024 - 18:37

O líder chinês iniciou nesta quinta-feira (16) uma visita de Estado de dois dias à Rússia e muito mais do que uma parceria comercial está em jogo, mas o momento para Pequim é delicado

UM SUSPIRO

Os juros continuarão altos nos EUA? Inflação de abril traz alívio, mas Fed ainda tem que tirar as pedras do caminho

15 de maio de 2024 - 14:54

O índice de preços ao consumidor norte-americano de abril desacelerou para 3,4% em base anual assim como o seu núcleo; analistas dizem o que é preciso agora para convencer o banco central a iniciar o ciclo de afrouxamento monetário por lá

DESINFLAÇÃO ACELERADA

Boas notícias para Milei: Argentina tem inflação de um dígito e Banco Central promove corte de juros maior que o esperado

15 de maio de 2024 - 10:19

Os preços tiveram alta de 8,8% em abril, em linha com o esperado pelo mercado, que estimavam um avanço de preços entre 8% e 9%

UM PRATO QUE SE COME FRIO

A vingança da China: EUA impõem pacote multibilionário de tarifas a carros elétricos chineses e Xi Jinping quer revanche

14 de maio de 2024 - 20:03

O governo chinês disse que o país tomaria medidas resolutas para defender os seus direitos e interesses e instou a administração Biden a “corrigir os seus erros”

VIVA EL DÓLAR

Vitória para Milei: FMI anuncia novo acordo para desembolsar quase US$ 1 bi em pacote de ajuda à Argentina

13 de maio de 2024 - 15:00

Segundo o fundo, a Argentina apresenta “desempenho melhor que o esperado”, com queda na inflação, reconstrução da credibilidade, programas de consolidação fiscal, entre outros

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar