🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O INVESTIMENTO EM ATÉ 14,5X EM 8 DIAS? ENTENDA A PROPOSTA

Rodolfo Amstalden: Entenda por que os títulos do Tesouro dos EUA podem colocar o ciclo de queda da Selic em risco

Com a abertura furiosa dos Treasuries, limitam-se os graus de liberdade para a política monetária local

4 de outubro de 2023
20:10 - atualizado às 17:27
ações campos neto juros selic banco central
Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil - Montagem: Giovanna Figueredo

O Brasil está "asfixiante" para famílias com o desaperto monetário da Selic, mas existe uma outra realidade; confira

Este heterogêneo 2023 começou com poucas esperanças e uma única certeza doméstica: tudo o mais constante, pelo menos teríamos a virada no ciclo monetário, abrindo caminho para a queda da Selic.

Parece pouco, mas não é.

Às vezes, o mercado só precisa de um bom motivo para subir, especialmente a partir de múltiplos deprimidos.

Muitos investidores ficariam surpresos com quanto dinheiro pode ser movimentado, em questão de dias, com apenas um motivo claro.

E muitos se impressionariam também com o que aconteceria se esse motivo singular fosse retirado abruptamente da pauta.

A tese de queda da Selic

Não pretendo ser radical aqui, não faz o meu tipo. A tese de queda da Selic não foi retirada da pauta.

No entanto, precisamos parar por um momento e reconhecer novos parâmetros de rapidez e intensidade, mais parcimoniosos que os anteriores.

Por exemplo: o debate sobre corte de 50 bps vs 75 bps, perfeitamente legítimo até poucas semanas atrás, agora dá lugar a uma disputa bem mais tacanha, entre os 25 bps e os 50 bps.

Com a abertura furiosa dos Treasuries, os títulos do Tesouro dos EUA, limitam-se os graus de liberdade para a política monetária local.

Isso não sou eu que estou dizendo, nem o modelo do Copom. Há outros mensageiros mais assertivos, como o câmbio.

D[olar, yields e a Selic

O dólar foi de R$ 4,72 em 30 de julho para os R$ 5,14 atuais. Alta de quase +10% em dois meses; e isso com a balança comercial brasileira batendo recordes de saldo.

Se os yields de 10 anos dos EUA continuarem perambulando em uma banda de 4,50% a 5,00%, o "ciclo de afrouxamento" terá vida curta por aqui.

É claro que uma Selic de 10% sempre será melhor que uma Selic de 14%, mas a mudança de 14% para 10% está longe de ser transformacional.

Parece muito mais um desaperto do que um afrouxo.

Ainda seguiremos vivendo em um Brasil de juros reais da ordem de 6%, asfixiante para uma série de famílias e empresas que contavam com um alívio logo ali na esquina.

Sem drama, porém.

Essa não é a única realidade possível, e talvez seja uma realidade que carrega no útero as sementes da própria resolução.

Para entender melhor quais são as saídas para a armadilha dos yields americanos, leia o Palavra publicado hoje.

Compartilhe

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Campeões de audiência: Imunidade da Shopee à taxa das blusinhas, uma chance para a Adidas e rumos do bitcoin (BTC) dividem atenção com reforma tributária e mercados financeiros no SD

13 de julho de 2024 - 12:05

Shopee, Adidas, bitcoin, reforma tributária e mais: veja quem foram os campeões de audiência do Seu Dinheiro na última semana

Oportunidade?

Previdência privada com ações: vale a pena antecipar os aportes em PGBL para aproveitar a queda da bolsa no ano?

13 de julho de 2024 - 7:57

Se você investe em ações por meio do seu plano de previdência privada, você precisa ler isso…

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Fed anima e Ibovespa emplaca melhor sequência desde 2018 — mas vale a pena pagar para ver de novo?

12 de julho de 2024 - 7:46

Desaceleração da inflação nos EUA e sinalização de Powell levam investidores a projetarem corte de juros em setembro — e isso pode ajudar o Ibovespa

SEXTOU COM O RUY

A hora de comprar bolsa é agora? A alta recente pode ser apenas um aperitivo, mas é preciso ter cautela e escolher as ações certas

12 de julho de 2024 - 6:11

Se a ideia é investir em empresas confiáveis, geradoras de caixa e descontadas que conseguirão atravessar o ambiente macro sem sustos mesmo que o clima venha a piorar novamente, esse é um ótimo momento para investir

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Um significado para o CPI: Inflação ao consumidor dos EUA dá o tom com S&P-500 em nível recorde e Ibovespa em busca da nona alta seguida

11 de julho de 2024 - 8:09

Além da inflação ao consumidor norte-americano, investidor brasileiro também repercute vendas no varejo e regulamentação da reforma tributária

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: Como definir e melhorar seus objetivos de poupança?

10 de julho de 2024 - 20:00

No artigo “Goal Setting and Saving in the FinTech Era”, autores estudam o real impacto da opção de definir objetivos de poupança e os achados são animadores

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

É igual, mas pode ser diferente: Ibovespa busca oitava alta seguida em dia de Powell no Congresso dos EUA e IPCA por aqui

10 de julho de 2024 - 7:58

Além do testemunho de Powell e da inflação oficial no Brasil, investidores monitoram regulamentação da reforma tributária

CRYPTO INSIGHTS

É para comprar bitcoin (BTC) agora? A resposta sem arrodeios está aqui

9 de julho de 2024 - 13:42

Primeiro, vamos compreender a dinâmica atual do bitcoin (BTC) e do mercado atual e, em seguida, investigar o que os dados estão nos dizendo

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

De grão em grão: Testemunho de Powell nos EUA coloca à prova série de altas do Ibovespa em meio a feriado em SP

9 de julho de 2024 - 8:03

A bolsa brasileira já acumula alta de 2,02% neste início de julho — já é mais do que a alta acumulada de 1,48% em todo o mês de junho

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

França e Reino Unido experimentam reviravoltas políticas, mas resultados geram situações bem distintas

9 de julho de 2024 - 7:01

Enquanto os trabalhistas obtiveram maioria folgada para governar no Reino Unido, a França flerta com a paralisia política

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar