🔴 ALGORITMO MOSTRA COMO BUSCAR ATÉ R$ 3 MIL POR DIA – CONHEÇA

Maria Eduarda Nogueira
Maria Eduarda Nogueira
Jornalista formada pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduanda na ESPM. É coordenadora de marketing do Seu Dinheiro e do Money Times. Entrou para o mercado financeiro inesperadamente e está sempre disponível para falar sobre inovação, criatividade e cultura pop.
Conteúdo Vitreo

Bolsa americana entre altos e baixos? Veja aqui 3 ações para buscar ganhos independente das oscilações do S&P 500 e da Nasdaq

Empresas com modelos de negócios consolidados podem dar resiliência à sua carteira de investimentos, mesmo em momentos de crise

Maria Eduarda Nogueira
Maria Eduarda Nogueira
14 de agosto de 2022
14:00 - atualizado às 13:31
Bandeira dos EUA com cifrão em cima, representando oportunidade de ganhos com bolsa americana, juros
Imagem: Shutterstock

Depois de uma performance lamentável durante o primeiro semestre de 2022, a bolsa americana parece estar voltando aos eixos: em julho, o índice S&P 500 subiu quase 8% e o Nasdaq, mais de 11%. 

Com a inflação dando sinais de recuo, o mercado espera que o FED (banco central americano) dê uma segurada na alta dos juros, subindo a taxa em um ritmo mais lento e afastando os riscos de desaceleração econômica

Mas, como é de praxe do mercado de renda variável, não é possível afirmar se essa tendência de alta vai persistir ou se é apenas um rally de bear market. 

Felizmente, existem ações de empresas sólidas que mantêm seu ritmo de crescimento mesmo em períodos de instabilidade e possível recessão. Elas funcionam como “curingas” para o investidor mais avesso a riscos, que busca evitar quedas bruscas do patrimônio a todo custo. 

São companhias que dificilmente verão seus papéis se valorizarem de forma exponencial, mas têm um ótimo histórico de entrega consistente de ganhos e tendem a enfrentar menos volatilidade por já terem modelos de negócios consolidados

Neste documento gratuito, os analistas responsáveis pela carteira internacional da Empiricus ‒ João Piccioni, Enzo Pacheco e Richard Camargo ‒ indicam 3 ações americanas com estas características. 

QUERO DESCOBRIR QUAIS SÃO AS 3 AÇÕES AMERICANAS 

Por que essas 3 ações estão sendo recomendadas? 

Para que você entenda por que esse trio de papéis está sendo recomendado pela equipe de especialistas, vamos apresentar os principais pontos que fizeram as companhias dignas de indicação.  

Retorno ‘triunfal’ pós-crise de 2008

Uma das empresas recomendadas passou pela recessão de 2008 com desvalorização bem menor do que a média do mercado e teve uma recuperação “triunfal” depois, superando substancialmente o retorno do S&P 500 e da Nasdaq no pós-crise.

No gráfico abaixo, é possível perceber isso (a empresa em questão é representada pela linha vermelha, a Nasdaq pela laranja e o S&P 500 pela preta):

Performance da empresa, do S&P 500 e da Nasdaq entre dezembro de 2007 e dezembro de 2010.
Performance da empresa, do S&P 500 e da Nasdaq entre dezembro de 2007 e dezembro de 2010. Fonte: Bloomberg e Empiricus.

A mesma companhia cresce em média 5,4% ao ano desde 2012, uma taxa de crescimento maior que o da economia americana no mesmo período. 

“Ainda que a economia global não passe por uma recessão, a companhia ainda teria capacidade de continuar entregando resultados crescentes assim como na última década. 

Por outro lado, caso enfrentemos um período recessivo no futuro próximo, enxergamos nela um negócio capaz de atravessar essa turbulência com melhores chances do que a média do mercado”, afirmam os analistas.

CONFIRA A ANÁLISE COMPLETA DA COMPANHIA AQUI 

Dividendos robustos

A segunda companhia, inserida no setor de alimentação, tem um alcance global graças ao seu modelo bem-sucedido de franquias.  Com maior previsibilidade de faturamento e maior capacidade de controle das despesas variáveis, os fluxos de caixa da empresa são bem controlados, permitindo um pagamento de bons dividendos

Nos últimos anos, a rede de alimentação está investindo em uma estratégia omnichannel (integração entre o físico e o digital), instalando totens de autoatendimento nos restaurantes e otimizando processos para os clientes, com a ajuda de tecnologia. 

“O caminho para aumentar ainda mais as margens está se concretizando de forma acelerada”, concluem Piccioni, Pacheco e Camargo. 

DESCUBRA AQUI QUAL É ESTA EMPRESA DO SETOR DE ALIMENTAÇÃO

Clientes de grande porte 

A terceira e última recomendação dos analistas é uma empresa que atua na segurança de dados e tem um produto diferenciado no mercado para as instituições que desejam se proteger de ataques cibernéticos.

O vazamento de dados tornou-se uma prática recorrente de hackers. Aqui no Brasil, empresas como Lojas Renner, Cosan e Fleury foram vítimas da prática; no exterior, Sony e corretoras cripto estão entre as afetadas. Por oferecer uma solução para esse grave problema, a companhia tem entre seus clientes 14 dos 20 maiores bancos do mundo e 63 das 100 empresas da Fortune 100. E também o próprio governo americano. 

Usando inteligência artificial e machine learning, ela oferece um produto com uma tecnologia bem mais avançada e efetiva do que a concorrência ‒ um de seus concorrentes é a gigantesca Microsoft

Para os analistas, a empresa está em um “estágio relativamente inicial da sua curva de crescimento”, ou seja, ainda tem muito espaço para crescer em um setor altamente demandado. “Esperamos que os próximos anos sejam turbinados por contratos milionários da empresa com o governo dos EUA”, completam. 

VEJA AQUI A EMPRESA QUE PODE ‘DESBANCAR’ A MICROSOFT E GANHAR MILHÕES COM O GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS

Por que investir em bolsa americana?

Se você costuma pesquisar sobre investimentos, já deve ter lido que a diversificação geográfica da carteira de investimentos é essencial. 

Se considerarmos o contexto do nosso país, com as eleições se aproximando e o fato da bolsa brasileira ser bem menos madura que a americana, o investimento no exterior torna-se quase que “obrigatório”. Você escapa do “risco Brasil” e ainda busca receita em dólar para seu patrimônio. 

Como em qualquer tipo de investimento, é preciso saber escolher os ativos com inteligência. Por isso, sugiro que você acesse o documento gratuito com 3 indicações de analistas especializados em bolsa americana.

Lá, você pode descobrir o nome e ticker das ações e entender com mais detalhes o que está por trás das indicações da equipe. 

Compartilhe

Conteúdo Empiricus

Mesmo com a queda de 10% do Ibovespa em 2024, analista diz que pouca vezes esteve ‘tão otimista com o futuro de longo prazo do Brasil’; entenda

22 de junho de 2024 - 14:00

Queda do Ibovespa pode ser uma oportunidade para incluir ações de qualidade na carteira

Conteúdo Empiricus

Empiricus relança robô que pode gerar lucro médio de R$ 680 por dia de forma semiautomática; veja como usar

22 de junho de 2024 - 12:00

Robô usa método quantitativo para semiautomatizar operações com elevado potencial de lucros

Conteúdo Empiricus

Nvidia desbancou Microsoft e Apple para se tornar a companhia mais valiosa do mundo: até onde as ações podem ir?

22 de junho de 2024 - 8:00

Ações da fabricante de semicondutores já se valorizaram 171% em 2024 e alçaram a Nvidia ao posto de companhia mais valiosa do mundo: tem espaço para mais?

Conteúdo Empiricus

Ibovespa segue patinando nos 120 mil pontos e analista afirma: ‘se tivesse que comprar apenas uma ação, seria essa’; veja qual

21 de junho de 2024 - 16:00

Ação foi incluída em portfólio que reúne os 10 melhores papéis da bolsa e é um dos principais destaques entre as recomendações deste grupo de analistas

Conteúdo Empiricus

Média de R$ 680 por dia? Economista da FGV cria robô financeiro que pode gerar lucro com só 3 cliques

21 de junho de 2024 - 14:00

Sistema de trade semiautomático estará acessível a todos os brasileiros em breve; saiba como testar

Conteúdo Empiricus

Virada de chave do Ibovespa? Veja 4 notícias que podem animar a bolsa brasileira nos próximos meses e como se posicionar neste cenário

21 de junho de 2024 - 12:00

Depois de um primeiro semestre ruim, algumas ações de qualidade aparecem em ótimo ponto de entrada, segundo analistas; veja o que pode fazer o Ibovespa voltar a andar ainda em 2024

Conteúdo Empiricus

Responsável por carteira que já subiu 3.271% revela nova lista de criptomoedas capazes de transformar R$ 5 mil em até R$ 2 milhões

21 de junho de 2024 - 10:00

Head de ativos digitais encontrou ‘tesouros’ escondidos no mercado cripto que podem disparar até quase 40.000%

Conteúdo Empiricus

Nova ferramenta que parece videogame, mas é de buscar lucro na bolsa, gera polêmica no mercado financeiro; conheça

21 de junho de 2024 - 8:00

Renda potencial média de R$ 3 mil por dia com apenas 2 operações, apresentada pela ferramenta, chama a atenção de investidores

Conteúdo Empiricus

Selic a 10,5% não é o que muda o jogo: Copom deixa oportunidade escancarada nas estrelinhas

20 de junho de 2024 - 16:00

Projeções já apontavam para fim do ciclo de queda, mas confirmação do Copom deixa ‘recado oculto’ no ar; veja qual

Conteúdo Empiricus

Petrobras (PETR4): veja o impacto do acordo bilionário com a União no dividend yield da companhia, segundo analista

20 de junho de 2024 - 14:03

Para Ruy Hungria, da Empiricus, apesar do acordo ter sido positivo para a Petrobras, era impossível que ele fosse feito sem “nenhum ferimento” nos dividendos da estatal

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar