⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula e Bolsonaro querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2019-10-14T14:22:27-03:00
Estadão Conteúdo
E lá vamos todos novamente

EUA e China anunciam retomada de negociações comerciais

Duas maiores economias do mundo anunciaram uma nova trégua na guerra comercial para tentar chegar a um consenso

29 de junho de 2019
11:30 - atualizado às 14:22
Guerra comercial, China, Estados Unidos EUA
Xi Jinping (China) e Donald Trump (EUA) - Imagem: Shutterstock

Após uma reunião que durou aproximadamente duas horas, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump e o presidente da China, Xi Jinping, anunciaram uma nova trégua na guerra comercial travada entre as duas maiores economias do mundo e apontaram para a continuidade das negociações comerciais entre os dois países.

"As negociações estão de volta aos trilhos. Tivemos uma reunião muito boa com o presidente Xi. Eu diria excelente até", disse Trump a repórteres após o encontro com o líder chinês, que ocorreu em Osaka, Japão, às margens da reunião de cúpula do G20.

Os EUA ameaçavam impor tarifas de 25% sobre US$ 300 bilhões em produtos chineses que ainda não sofriam com barreiras comerciais americanas.

Caso as tarifas fossem impostas, praticamente todos os bens chineses importados pelos EUA seriam penalizados com tarifas.

De acordo com a agência de notícias chinesa Xinhua, Trump concordou em não impor as tarifas adicionais e os dois lados se mostraram dispostos em reiniciar as negociações comerciais com base na "igualdade e respeito".

Além da retomada das conversas, Trump disse ter permitido que a gigante chinesa de telecomunicações Huawei pudesse voltar a comprar produtos americanos.

De acordo com ele, as questões relativos à empresa serão resolvidas no fim das negociações comerciais. Ele apontou, ainda, que a prisão da diretora-financeira da Huawei, Meng Wanzhou, não foi discutida em seu encontro com Xi Jinping.

Em troca da trégua tarifária e das concessões à Huawei, Trump disse que os chineses comprarão ainda mais produtos agrícolas americanos. "Eles vão comprar tremendas quantidades de alimentos", comentou o americano.

Quanto às novas negociações sino-americanas, o presidente dos EUA disse que o trabalho com a China começará "de onde paramos" com a finalidade de que um acordo entre as duas partes seja alcançado.

"Eu não estou com pressa", afirmou Trump durante coletiva de imprensa. Ele apontou, ainda, que seu governo fará reuniões em breve sobre como lidar com a Huawei, que está em uma lista de empresas que não podem receber tecnologia de origem americana sem a aprovação da Casa Branca.

"Estamos falando de equipamentos, onde não há um grande problema de emergência nacional", disse Trump.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

MERCADO EM 5 MINUTOS

Mercado em 5 Minutos: Dias de luta, dias de glória

6 de outubro de 2022 - 10:57

Investidores preocupam-se com a possibilidade de recessão e uma realidade inflacionária insistente, o que forçaria política monetária mais contracionista por parte dos banqueiros centrais do mundo

SANÇÕES INTERNACIONAIS

União Europeia quer banir pagamentos em criptomoedas para a Rússia; entenda por que a sanção não vai dar certo

6 de outubro de 2022 - 10:55

Entre as medidas da nova rodada de sanções, a UE determina a proibição de importação de produtos da Rússia, um montante que totaliza sete bilhões de euros

LAREIRA ACESA NO INVERNO

Os planos de Putin falharam? Europa garante quase todo o armazenamento de gás para o inverno — mas o pior ainda está por vir

6 de outubro de 2022 - 10:32

O continente encheu os tanques de armazenamento em cerca de 90% de sua capacidade antes do inverno deste ano, de acordo com a Agência Internacional de Energia

LEVANTANDO DINHEIRO

Grupo Mateus (GMAT3) embolsa R$ 182,6 milhões com venda de três lojas para fundo imobiliário

6 de outubro de 2022 - 10:11

O Grupo Mateus (GMAT3) fechou um negócio conhecido como “sale and leaseback” — após a venda, os imóveis serão alugados para a própria empresa

CASO CELSIUS

Executivos da Celsius embolsaram US$ 56 milhões em criptomoedas enquanto dinheiro de clientes estava preso na plataforma

6 de outubro de 2022 - 9:21

O ex-CEO Alex Mashinsky, o ex-CSO Daniel Leon e o ainda CTO Nuke Goldstein sacaram os valores em bitcoin, ethereum, USDC e CEL entre maio e junho

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies